terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

CHICO SCIENCE


Em 1997, Chico Science se foi. Era o principal músico e agitador cultural do mangue beat de Recife. Liderava o grupo Nação Zumbi. Morreu às vésperas do Carnaval. Inveja por parte da axé-music? Talvez, a axé-music nunca teve a criatividade genuína de Chico Science, apesar de ter o poder de mídia maior do que ele.

O mangue beat chegou a estar em crise. Mas a MPB recifense continua resistindo, apesar da invasão do forró-calcinha (sob o apoio dos ruralistas nordestinos). Os garotos-mangues seguem em frente, e Chico Science pode ficar tranquilo que o grupo Nação Zumbi vai muito bem, tendo agora o amigo e parceiro Jorge Du Peixe, percussionista do CSNZ, como vocalista. Musicalmente o grupo hoje segue coeso e fiel às lições do fundador.

Todo Carnaval tem seu fim. Mas os verdadeiros carnavais continuam, vivem sempre. O carnaval de Chico Science continuará vivo. O legítimo carnaval recifense, sem firulas marqueteiras, também. E o esquecido Carnaval de Salvador, há muito substituído pela axé-music tropicarlista, renascerá das cinzas do arrogante marketing axezeiro.

Fica a lembrança de Chico Science, sua breve trajetória e sua poderosa lição, que certamente sobreviverá à morte dele e ao decorrer do tempo, do contrário de axezeiros que barram tudo que não é axé-music em Salvador, mas se apropriam de tudo que não é axé-music no resto do país e do mundo.

Valeu, Chico Science!

Nenhum comentário: