domingo, 17 de janeiro de 2010

Funqueiro ataca UPP's em artigo


Um dirigente funqueiro, num artigo publicado na imprensa, atacou as Unidades de Polícia Pacificadora no Rio de Janeiro, que ele classificou como "truculentas".

Além disso, ele atacou as ações policiais, como se ele não quisesse jamais que elas fossem violentas, mesmo diante da criminalidade desafiadora.

Mas, querendo agradar a opinião pública, desmentiu que quisesse acabar com o policiamento das favelas. Mas alegou que queria uma polícia "boazinha", em vez da polícia que usa a violência para reprimir a criminalidade.

Sem querer aqui ignorar que existe corrupção na polícia, mas o artigo do tal funqueiro soa de um tendenciosismo enrustido.

NAÇÃO FUNQUEIRA JÁ TEM CONFLITOS INTERNOS - O articulista também atacou os chamados "senhores da guerra" da televisão carioca, tendo como alvos a inclusão de um ex-policial do BOPE na equipe comentarista do RJ-TV (Rede Globo), e o programa Balanço Geral, com Wagner Montes.

Só que Wagner Montes fez um grande favor para o articulista, pois foi um dos que mais encamparam a causa funqueira. Wagner Montes também é parlamentar e é um dos responsáveis do projeto que define o "funk carioca" como um "movimento cultural de caráter popular".

Isso deve ser o princípio de um clima de desentendimento da nação funqueira. É como ocorreu na parábola da Torre de Babel, quando seus envolvidos, querendo atingir o alto do céu, começam a se desentender, cada um falando uma coisa que o outro não compreendia.

Nenhum comentário: