quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Brasil registra aumento no número de casamentos


Segundo o IBGE, o número de casamentos no Brasil aumentou 4,5% nos últimos 10 anos.

O número de divórcios e separações, no entanto, continuou variando entre 0,8 e 1,5%.

Além disso, as mortes violentas de mulheres jovens aumentaram 32,7% em todo o país.

Depois dizem que anda sobrando muita mulher sozinha no nosso país. Só pode ser coisa de bebum que, nas boates, fica vendo por vez três mulheres quando há apenas uma.

A mídia já começa a calar a boca diante desse mito das "mulheres sozinhas".

Que ótima lição para Nana Gouveia!...


Na edição de Caras desta semana, as atrizes Dani Valente e Bianca Rinaldi receberam um livro dedicado às obras do grande arquiteto Oscar Niemeyer, ainda ativo nos seus 102 anos.

Ver livros sobre artes é uma atividade bastante saudável e sem vulgaridade. Seria uma ótima lição para a atriz Nana Gouveia que, apesar dos seus 34 anos e de duas filhas adolescentes, só aparece nas suas atividades de boazuda, cujas "façanhas" - exibir vestido esvoaçante, deitar na praia, "sambar" na quadra de escola de samba, mostrar "cofrinho", não fossem suficientes as sessões no Paparazzo - já começam a cansar de enjôo até o mais entusiasmado tarado de plantão.

Ser jovial é uma coisa. Ser vulgar é outra. Nana se comportando como uma menininha calipígia no começo da puberdade soa muito patético.

Liam Gallagher anuncia que formará nova banda


Em entrevista recente, o cantor Liam Gallagher afirmou que a banda Oasis, na qual ele fazia parte e disputava liderança com o irmão e guitarrista Noel Gallagher, acabou definitivamente.

Liam declara também que ele e outros membros do Oasis podem seguir carreira através de um novo grupo, cujo nome ainda não foi divulgado.

Enquanto isso, Noel Gallagher, que era o principal compositor do grupo e atuava com segundo vocalista ("Don't Look Back in Anger", por exemplo, é cantada por ele), seguirá carreira solo.

Rua em Nova Jersey homenageia guitarrista de poser metal


Autoridades de Nova Jersey (EUA) decidiram rebatizar uma rua com o nome de Richie Sambora, o guitarrista da banda de poser metal Bon Jovi.

Tudo bem que Sambora investiu numa instituição para financiar tratamentos de câncer, com vários beneficiados, mas a iniciativa foi um exagero. Talvez se desse um prêmio para Sambora, em vez de uma rua com seu nome, fosse mais justo e coerente.

Agora, quanto à música, sabemos que o Bon Jovi não merece prêmio algum por causa de seu som meloso e cafona, e que nem as atuais rádios de rock autênticas - que no entanto às vezes se corrompem diante do suposto "revisionismo" empurrado pela força comercial das rádios bastardas - deveriam se lembrar dessa banda.

Decadência do padrão "curitibano" começa em São Paulo


Reportagem do jornal Brasil de Fato mostra o caos do transporte coletivo de São Paulo.

Ele tem todas as caraterísticas do "transporte coletivo de todos os sonhos":

- Sistema integrado;

- Consórcios de empresas;

- Pintura padronizada;

- Algumas linhas em "pool";

- Ônibus articulado;

- Frotas reduzidas compensadas (em tese) por corredores exclusivos.

O que é que faz essas caraterísticas, associadas a um sistema de transporte por ônibus tão "perfeito", causar tanto caos na maior cidade da América Latina?

Sinal de que o modelo "curitibano", que já está saturado em Curitiba - até agora não se evidenciaram os defeitos na capital paranaense, mas já cresce entre as pessoas a ideia de que Curitiba não tem o melhor sistema de ônibus do país - , começa a dar sinais de profundo desgaste e desastre em São Paulo.

Outra prova é que a administração municipal não consegue dar conta da hercúlea missão de administrar consórcios de linhas - na prática, um método misto de controle político mais iniciativa privada - , nem em ideias como o "pool", acabando com o mito de "super-autoridades" que os defensores desse modelo de transporte coletivo tanto afirmam, com pretensa sabedoria.

Essa reportagem de Brasil de Fato é um alerta para o projeto de transporte idealizado pelo prefeito carioca Eduardo Paes, que quer implantar o mesmo padrão de São Paulo no Rio de Janeiro, provavelmente inspirando iniciativas similares pelo resto do Estado.

Além de provocar um grande desastre no transporte coletivo, poderá causar frustração até mesmo nas autoridades estrangeiras que visitarem o Rio em 2014 e 2016.

Abra o olho, Dudu Paes!!!!

EMI relança discos de Wilson Simonal


Você acha o Alexandre Pires o máximo de requinte e talento musical? Já estava acreditando que o Belo é "boa gente"? "Redescobriu" Benito di Paula e Luís Ayrão como "gênios injustiçados" de nossa música?

Pois desista de tudo isso e, se tiver algum disco desses caras acima, pode vender no sebo de seu interesse.

A EMI relança todos os discos que o cantor Wilson Simonal gravou na companhia, que são 12 LPs e os diversos compactos que foram reunidos numa coletânea em CD duplo. O ícone da "pilantragem" (mas totalmente avesso à picaretagem) mostra nesses discos os motivos de seu grandioso sucesso, que ativou ao longo dos anos a ação de oportunistas, como os citados no primeiro parágrafo.

Por isso mesmo, quem quer o verdadeiro suíngue brasileiro, é melhor desligar a TV na hora do Faustão e comprar os discos desse nome da MPB autêntica, que tem até um seguidor vivo e ativo, Wilson Simoninha, também mandando brasa na música brasileira.

Rick & Renner agora deram pra mentir


A dupla breganeja Rick & Renner, figurinha fácil dos programas do Gugu Liberato, disse em entrevista que seu som "não é comercial".

Que mentira, que lorota boa.

Dá para perceber o desespero desta dupla com tal demagogia, já que a decadente dupla breganeja gravou até sambrega num disco acústico, além do fato de um dos dois ter namorado a Helen Ganzarolli, para "anabolizar" sua aparição na mídia.

Mas agora que o "império romano" da axé-music começa a ruir, funqueiros e breganejos agora têm que mentir para alcançar o tão desejado império mercadológico em todo o território nacional. Os funqueiros dizem que fazem "movimento cultural". Os breganejos dizem que "não fazem" música comercial. Então tá.