sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Como são vistos os DJs que criaram a gíria "balada"?


Os próprios DJs e empresários da "náite" que criaram a gíria "balada" se vêem como "pretensos gênios".



Agora assim é como vêem os DJs estrangeiros quando encontram os criadores da gíria "balada": verdadeiros matutos.

Não é preciso dizer que o mundo clubber do primeiro mundo ainda aposta no bom e velho termo party, para festas noturnas, e nightclubs para os ambientes dessas festas. Nada de ballad, que para eles é sinônimo de música lenta ou história triste.

ÔNIBUS EM NITERÓI E SALVADOR


Niterói (RJ) e cidades adjacentes receberão mais de 550 ônibus novos, com o objetivo não só de renovar as frotas, mas também de aumentá-las e substituir micro-ônibus por ônibus médios e grandes.


Já Salvador (BA) continua com ritmo lerdo de renovação de frotas (duas vezes por ano, já que houve reajuste nas tarifas). Além disso, suas frotas são muito pequenas para tantas linhas e, em várias linhas, os ônibus grandes foram substituídos por micro-ônibus.

Vale lembrar que, enquanto a Grande Niterói terá bem mais do que os anunciados 550 carros, no prazo de um ano, Salvador terá menos de 300 carros novos em dois anos.

Niterói promete muito e cumpre muito mais. Salvador promete demais e cumpre bem menos.

Como se vê, dois pesos e duas medidas. Aí alguém fala mal do transporte de Salvador e os baianos não gostam.

OPERAÇÃO MATEMÁTICA


Tudo a ver. É o resultado da soma da música brega com "rock de arena".

"ROCK" DO BON JOVI É FROUXO, SEM GRAÇA E...BREGA!!


Quem lê este blog sabe muito bem que o poser metal anda sendo visto por certos incautos que se acham "entendedores" de rock como se fosse o novo "rock clássico". Grande lerolero, grande lorota que certamente não convence quem procura um rock de verdade, um rock que não seja pose, não seja rótulo, não seja embalagem, nem badalação da mídia e de alguns fãs idiotas.

Nos anos 80, o poser metal era considerado tão ridículo e risível que as rádios de rock autênticas não se davam tempo a divulgar mais de três semanas as músicas de trabalho dessas bandas. Além disso, a reputação das bandas poser não era muito diferente da reputação do Menudo, por exemplo.

Isso quer dizer que, no caso de bandas como Bon Jovi, um roqueiro se considerar fã desta banda era o mesmo que ser maricas. No caso de outros grupos como Poison e Mötley Crüe, se declarar fã deles era o mesmo que curtir palhaçadas como Absyntho e Dr. Silvana & Cia..

Só que veio os anos 90 no Brasil e as rádios de rock autênticas desapareceram, dando lugar àquelas terríveis, arrogantes e temperamentais "rádios rock". E aí a cultura rock virou o "poperó do boiola doido", e nomes como Bon Jovi, Guns N'Roses e Mötley Crüe passaram a serem vistos como "coisa séria". Tinha playboy que ouvia essas porcarias e gritava para os amigos, entusiasmados: "ROOOQUEEEEENROOOOOOLLLLL!!! U-HUUUUUU!".

E no Orkut tinha roqueirinho de butique, mas metidão a sério, desbocado, arrogante e preparado para xingar quem não concordasse com ele, exaltando esse com que poderíamos chamar pejorativamente de metalnejo. Além disso, havia roqueirinho de butique que estava atento quanto ao vírus da temporada para copiar o código fonte dele e presenteá-lo no e-mail de algum discordante.

As revistas sérias de rock pesado, como Rock Brigade e Roadie Crew, tinham que falar também dessas bandas, até para aumentar a vendagem. É evidente que, nas redações, o pessoal que conhece de Black Sabbath a Dimmu Borgir, passando por AC/DC, Van Halen e Yngwie Malmsteen, não vai levar a sério patetas como Jon Bon Jovi, Richie Sambora (que competia com o Tommy Lee o título de "Kekeilson" do metal farofa) e Axl Rose. Aliás, citei o Tommy Lee entre parêntesis e ele também é outro exemplo patético. E foi casado com a atual mocréia Pamela Anderson.

O Bon Jovi é o mais meloso dos grupos de metal farofa. Os restantes ainda fazem roquinho, algo como Amado Batista pensando ser o Ozzy Osbourne. Se bem que o "mestre" Alice Cooper já antecipava, e muito, as aventuras poser de seus pupilos.

Há, aliás, uma polarização entre as duas bandas de maior sucesso do metal farofa, Bon Jovi e Guns N'Roses.

O Bon Jovi é o mais meloso - ouçam "Always" e me digam depois se a música não é cafona - dos grupos de metal farofa.

Por outro lado, o Guns N'Roses é o mais verossímil, já que o marketing que a grande mídia faz de bandeja à banda de Axl Rose fez muito garotão acreditar que o Guns N'Roses era "rock de verdade". Estava assim de garotão achando que Guns N'Roses era "classic rock", gente que nasceu ontem, escreve muito mal e não tem visão aberta e crítica do mundo, mas se autoproclama "inteligente" e se julga capaz de julgar até aquilo que não sabe. Como os roqueirinhos arrogantes que ouviam a Rádio Cidade dos anos 90.

Mas como este assunto é o Bon Jovi, é de pasmar que haja também gente que ache que Bon Jovi é "rockão". Pelo amor de Deus. Bon Jovi, "rock de verdade"? Isso é ideia de jerico. Se o metal farofa, como um todo, é uma baboseira só, o Bon Jovi chega a ser brega com todas aquelas baladinhas e toda aquela postura de concorrente do Ricky Martin que o quarentão Bon Jovi tenta manter.

Mas como O Kylocyclo prima pela boa informação, sem temer cara feia de reacionário, dissemos que o "rock" (entre aspas, mesmo) do Bon Jovi é muito frouxo, totalmente sem graça e, acima de tudo, é SIMPLESMENTE BREGA.

REDUTO DE PESSOAS HIPÓCRITAS NO ORKUT


A comunidade EU ODEIO HIPOCRISIA.