terça-feira, 29 de setembro de 2009

OBITUÁRIO



TRANSPORTES ORIENTAL LTDA. *1958 +2009
VIAÇÃO OESTE OCIDENTAL S. A. *1995 +2009
TRANSPORTES FEITAL LTDA. *1986 +2009

Rio de Janeiro-RJ

SÍLVIO ESSINGER ESTÁ DESINFORMADO


Vejamos as "pérolas" que o jornalista Sílvio Essinger, que eu até admirava - tenho o livro dele sobre o punk rock - até ele lançar outro livro, desta vez sobre o "funk carioca".

Lunático, ele tenta comparar o "funk" com o punk, o que é uma insensatez. O punk rock era contra o establishment. O "funk", não, sempre foi totalmente integrado ao "sistema", só não rolava no Copacabana Palace, que parece ser o referencial de muitos lunáticos a respeito do istabliximente musical.

Para piorar, ele deu esse depoimento para a revista Bravo, veículo da Editora Abril (da horrenda revista Veja) dedicado aos "descolados":

"O funk virou o que é mesmo com a perseguição policial e sofrendo todo tipo de ataque. Hoje ele é uma música original, referência para turistas europeus e americanos, que querem conhecer esse tipo de baile, que não existe em outros lugares do mundo. Não tem funk de laboratório, não tem jabá, não tem manipulação. Não sei o quanto essa lei pode beneficiar uma coisa que funciona tão bem, mas eu acho válido tudo que puder dar uma garantia de trabalho pra quem lida com o gênero".

Ele ainda acrescentou que o "funk carioca" é "genuinamente brasileiro" - espere José Ramos Tinhorão saber disso - e que é feito fora do esquema de rádios e gravadoras.

Em que planeta Sílvio Essinger vive? Ele deve viver no Planeta Mico, onde vive também o fascistão que defende Zezé Di Camargo, Vítor & Léo e quejandos.

Em primeiro lugar:

1. O "funk" não é música original. Ele é uma chupação do miami bass dos EUA. Se adotou o "tamborzão" (batida eletrônica que imita batuques do candomblé), foi um recurso de última hora só para turista ver.

2. Não é referência alguma para turistas estrangeiros, que quando vão conhecer o "funk carioca", é para perceber o quão ridículo e pitoresco é este ritmo.

3. TODO o "funk carioca" é de laboratório. Seus idolos são vassalos dos empresários-DJs, que criam até tipos e estereótipos que esses MC's e suas dançarinas vão explorar. Sem falar que esses ídolos são semi-analfabetos, totalmente ingênuos e desprovidos de senso do ridículo. E são totalmente manipuláveis pelos empresários-DJs que os controlam, às vezes com mãos de ferro.

4. TODO o "funk" trabalhou seu sucesso às custas de muito jabá. Se o miami bass foi famoso pelo violento esquema mafioso de subornos e ameaças a DJs e tudo, imagine seu similar brasileiro, num Estado dominado pelo crime organizado. Se verificarmos os bastidores do "funk", verá que o ritmo nada seria se não fosse o jabaculê.

5. É claro que a lei que transforma o "funk" em "movimento cultural" (sic) tem como maiores beneficiados os empresários-DJs e seus aliados. O povo cai feito trouxa nesse conto do vigário. E a intelectualidade adesista também.

BREGANEJO E "FUNK": RUMO AO IMPÉRIO POPULARESCO


A axé-music é o maior império da música brega-popularesca, porque é o ritmo que maior poder econômico possui em todo o país.

Depois da axé-music, está a dita "música sertaneja", o breganejo, que tem a peculiaridade de ser apoiado por TODA A ESTRUTURA LATIFUNDIÁRIA DE NOSSO PAÍS, sendo literalmente a trilha sonora do coronelismo do Brasil.

Mas, nos últimos anos, existe a competição entre o breganejo e o "funk carioca" - ritmo marcado pelo discurso populista politicamente correto - disputando a vice-liderança ou até mesmo a liderança no mercadão brega-popularesco do país.

Até nas alianças políticas a disputa adota métodos diferentes para um mesmo objetivo. O "funk carioca" faz alianças com partidos políticos "fisiologistas" (PMDB) ou "esquerdo-fisiológicos" (PT, PDT, PSOL). O breganejo faz alianças com alas mais conservadoras do PMDB e com partidos direitistas como PSDB, DEM e PR.

Descobrimos até que na antiga dobradinha radiofônica 89/Rádio Cidade (as rádios pseudo-roqueiras do eixo RJ-SP), seus antigos produtores foram para praias diferentes. Os da Rádio Cidade carioca foram para o "funk", e os da paulista 89, sócia da Nativa FM, foram para o breganejo.

MC LEONARDO NA MÍDIA GORDA!!!!


Não, "caros amigos", não tapem seus olhos com lençol preto. Sentem já na sala para assistirem à TV, sintonizados na Rede Globo.

Pois a tão criticada Globo, a mais gorda da mídia gorda, mostrou MC Leonardo, que tanto era contra a "grande mídia", dando entrevista no RJ TV ontem. Até aí nada demais, só que sabemos que o ritmo em que MC Leonardo participa e defende (ele é da APAFUNK) tem um forte lobby nas Organizações Globo, o que derruba, definitivamente, a mais do que hipócrita imagem do "funk carioca" como "movimento dos sem-mídia".

Agora é torcer para que a produção do Domingão do Faustão faça um Arquivo Confidencial com o MC Leonardo, para celebrar o casamento cada vez mais sólido, evidente e estável do "funk carioca" com a mídia gorda (que pelo jeito quer ser mídia popozuda, o que dá no mesmo)

Em todo o caso, se a revista Época convidar o MC Leonardo para assinar uma coluna lá, o funqueiro, com a mais absoluta certeza, nem sentirá saudade da Caros Amigos.

"SERTANEJO UNIVERSITÁRIO" EM CARTAZ NA MÍDIA GORDA


Reportagem da Revista do Globo, suplemento dominical do jornal O Globo, mostra a tentativa da música breganeja de entrar no Rio de Janeiro através dos "sertanejos universitários", espécie de versão "emo" da música caipira ou uma forma musical tardia do acordo MEC-USAID dos tempos da ditadura militar.

É uma forma do coronelismo musical brasileiro - que, de tão rico e poderoso, é capaz de enviar reacionários paranóicos para espinafrar este blog - ingressar no único Estado sudestino que tradiconalmente não é receptivo aos breganejos.

Não surpreende o apoio da mídia gorda neste caso, até porque a Revista do Globo é do jornal O Globo, que é das Organizações Globo, que é dona da Rede Globo que transmite a novela Paraíso. Mas, felizmente, os agricultores sem-terra são tão odiados pela grande mídia que os defensores do breganejo são obrigados a admitir que o estilo é apoiado por grandes fazendeiros.

O breganejo tradicional (Chitãozinho & Xororó, Zezé Di Camargo & Luciano, Leonardo, Daniel, Rick & Renner, Rionegro & Solimões etc) é financiado pelos velhos latifundiários, e o "sertanejo universitário", por empresários de agronegócio.

REACIONÁRIO BREGANEJO CONTRA-ATACA


Sei que existem fanáticos, mas esse carinha aí não é fã coisa alguma. Deve ser funcionário de fã-clube, ou de TV aberta, defendendo ídolos milionários porque tem medo deles decaírem.

O reacionário escreveu a seguinte mensagem contra mim, com português errado e com a maior disposição de caluniar:

"acho que vc é loucooooo

ôôôô DESPEITADOOOO

quer saber.....

mooorrra de inveja ,

ZEZÉ DI CAMARGO

tem pra barrarr

nãããoooo...................

jgfjuifgiuejrfjeifjkkkk"

Agindo na completa falta de respeito, o carinha, altamente reacionário, esquentadinho, moralmente desequilibrado, não sabe que ele tem todo o direito de ouvir Zezé Di Camargo & Luciano. Pode ficar tranquilo que não vou botar a polícia para invadir a casa dele se ele tocar um disco dessa dupla.

Falo isso se a hipótese de fã da dupla for considerada, porque um cara desses não pode ser considerado um verdadeiro fã, porque se preocupa demais em atacar quem não gosta da dupla e quem alerta contra os deslizes que Zezé Di Camargo faz. Se Zezé Di Camargo fala besteira, a culpa não é minha. Tenho que fingir que ele, ao falar bobagens, está dizendo uma máxima filosófica? Pelo amor de Deus, tenha paciência!!

Um cara desses está pondo em risco sua própria reputação. Pensa que vai levar a melhor defendendo "duplas sertanejas" como Zezé Di Camargo & Luciano, Vítor & Léo, João Bosco & Vinícius etc, através de mensagens violentas que espalha em diversas páginas que publiquem assuntos relativos ao breganejo e à axé-music. Acha que vai assustar as pessoas com seu comportamento esquentadinho.

Será que esse moleque não é um antigo produtor da 89 FM de São Paulo que trocou o rock pelo "sertanejo" e que só quer esculhambar? Em todo o caso, esse carinha só prova por A mais B que é reacionário, fascista, desequilibrado, quando ele deveria ficar calado e ir para os shows de seus ídolos. Ele perde tempo criticando blogs como este, que nunca vai fazer o jogo que ele quer.

Esse cara acabará um dia destruindo as carreiras das duplas que ele defende. Conheço bem a história. As críticas que eu fiz contra Zezé Di Camargo se baseiam em fatos da imprensa (que tal o esquentadinho espinafrar primeiro o portal Terra?).

Mas ele, esquentadinho, escrevendo mensagens em português errado, caluniando, só vai destruir as reputações das duplas, bem mais do que qualquer texto de O Kylocyclo. É esse cara que vai destruir Zezé Di Camargo & Luciano, Vítor & Léo e outros, porque através de suas atitudes, vai criar para essas duplas (como a grupos de axé-music, que ele também diz defender) a má fama de terem defensores esquentadinhos, que para os olhos do público soam como fãs violentos, fanáticos, fascistas intolerantes.

Imagino até a mensagem de uma revista de fofocas, dizendo: "VIOLÊNCIA DE INTERNAUTAS COMPLICA IMAGEM DE ÍDOLOS SERTANEJOS: Mensagens parecem defender as duplas, mas atitude arrogante e caluniosa ajuda a agravar propaganda negativa".