quinta-feira, 17 de setembro de 2009

CÉSAR MAIA DEPÔS SOBRE O CASO "CIDADE DA MÚSICA"


O ex-prefeito do Rio de Janeiro, César Maia, prestou depoimento hoje na Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente, para falar sobre as obras da Cidade da Música, na Barra da Tijuca. A polícia investiga a falta de licenças para o projeto, como os estudos para verificar o impacto ambiental da construção.

César Maia disse não saber que havia ou não licença, afirmando que a responsabilidade da fiscalização é da Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente (Feema). A Casa da Música foi inaugurada em 26 de dezembro do ano passado, mesmo com as obras inacabadas. O INEA (Instituto do Meio Ambiente), órgão ligado à Secretaria de Estado do Ambiente, disse que a Feema emitiu todas as licenças.

O ex-prefeito falou durante três horas. O depoimento era o que faltava para a polícia concluir a investigação, que dura seis meses.

"FUNK" É CIDADANIA MESMO? FALA SÉRIO!!


A polícia do Rio de Janeiro encaminhou para o Juizado de Menores um vídeo gravado num celular de um motorista de kombi apreendida numa blitz. O vídeo mostra um menino dançando "funk carioca" e exibindo uma escopeta. O menino é irmão do motorista e a escopeta pode ser de propriedade dos pais deles.

Depois vem muita gente ingênua dizendo que "funk" é cidadania. Não dá para acreditar nisso, de jeito nenhum. "Funk" é tudo igual, seja proibidão, pornô ou panfletário. Tudo com "p" de PORCARIA.

FESTIVAL DE CINEMA DO RIO ABRE COM FILME SOBRE WOODSTOCK


O filme Aconteceu em Woodstock (Taking Woodstock), do cineasta Ang Lee, abrirá a edição 2009 do Festival do Rio, mostra de cinema que se realizará de 24 de setembro a 08 de outubro. O filme é baseado no livro Taking Woodstock, de Elliot Tiber, e fala sobre o famoso festival que aconteceu em agosto de 1969.

Confiram a programação do Festival do Rio, que ocorrerá em diversos lugares, o Circuito Estação (Estação Vivo Gávea, Estação de Cinema e Estação Botafogo - estes dois na Rua Voluntários da Pátria, respectivamente 35 e 88, em Botafogo - , Estação Ipanema e Estação Barra Point, no shopping do mesmo nome, na Barra), abaixo. Os detalhes sobre o local de exibição de cada filme estão na página do Grupo Estação.

Programação do Festival do Rio:

FILMES DE FICÇÃO (mostra competitiva)

"Bellini e o demônio", de Marcelo Galvão
"Cabeça a prêmio", de Marco Ricca
"Do começo ao fim", de Aluizio Abranches
"Histórias de amor duram apenas 90 minutos", de Paulo Halm"
"Hotel Atlântico", de Suzana Amaral
"Natimorto", de Paulo Machline
"O amor segundo B. Schianberg", de Beto Brant
"Os famosos e os duendes da morte", de Esmir Filho
"Os inquilinos", de Sergio Bianchi
"Sonhos roubados", de Sandra Werneck
"Viajo porque preciso, volto porque te amo", de Karim Ainouz e Marcelo Gomes

Documentários (mostra competitiva)

"À margem do lixo", de Evaldo Mocarzel
"Belair", de Noa Bressane e Bruno Safadi
"Dzi croquettes", de Tatiana Issa e Raphael Alvarez
"Reidy, a construção da utopia", de Ana Maria Magalhães
"Sequestro", de Wolney Atalla
"Tamboro", de Sergio Bernardes
"Penas alternativas", de Lucas Margutti e João Valle

Fora de competição

"Antes que o mundo acabe", de Ana Luiza Azevedo
"Insolação", de Daniela Thomas e Felipe Hirsch
"Olhos azuis", de José Joffily
"Cidadão Boilesen", de Chaim Litewski
"Alô, alô Therezinha", de Nelson Hoineff

NOS ANOS 90, KANYE WEST SERIA PRODUTOR DA 89 FM


Kanye West (mais conhecido pelos detratores como "Quem é Este?"), esquentadinho, tirou o microfone da gracinha Taylor Swift e contestou a premiação dada a esta jovem cantora country, numa declaração arrogante. Só depois, no mais típico estilo "morde e assopra", ele pediu desculpas. Mas seu erro foi suficiente para garantir mais uma vez a fama de esquentadinho que assombra o rapper.

Mas, se fosse na década passada, Kanye West já seria contratado produtor da rádio paulista 89 FM, a dita "rádio rock", famosa pelos produtores esquentadinhos. Bastava apenas Kanye se inclinar um pouco mais para o grunge e o metal-farofa que ele já estava trabalhando na produção imediatamente.