quinta-feira, 10 de setembro de 2009

12 ÔNIBUS INCENDIADOS EM SALVADOR


BRANCÃO VIROU CINZA - Ônibus da CAIO Apache STD da Coletivos São Cristóvão, de visual "brancão", foi um dos 12 ônibus queimados na capital baiana, em represália a prisões de criminosos.

UMA DÚZIA de ônibus incendiados em Salvador (Bahia). Não é hora do "setépis" e a prefeitura soteropolitana reverem os critérios de renovação da frota dos ônibus da capital baiana, que, quando muito, se limita a duas vezes por ano?

BIENAL DO LIVRO E PESQUISA DO IBGE SOBRE LEITURA


A Bienal do Livro, que se realiza de hoje a 20 de setembro, no Riocentro, região de Jacarepaguá, Rio de Janeiro (RJ), é uma boa pedida para as pessoas saberem das novidades literárias no mercado brasileiro.

É, também, uma maneira de estimular os iniciantes a se aprofundarem no universo da leitura, uma vez que pesquisas do IBGE realizadas entre 2002 e 2003 e divulgadas recentemente mostram que apenas 40,7% das famílias brasileiras incluem algum material de leitura no orçamento familiar. O índice ainda é baixo, inferior à metade do total, e não se justifica com a dificuldade de comprar livros, já que aos poucos as editoras estão fazendo com que lançamentos de qualidade se tornem mais acessíveis.

Também sabemos que boa parte da juventude classe média é pouco inclinada aos livros, e é lamentável que haja até jovens que tem orgulho em odiar ler livros.

POLÊMICA NO DIAL RIO DE JANEIRO


A polêmica gira em torno do incidente entre o radialista Paulo Becker, ex-Rádio Cidade, e o meu amigo Marcelo Delfino, do blog Brasil Um País de Tolos.

Virando a casaca como seus colegas da suposta "rádio rock" carioca, Becker, antes um suposto "roqueiro", recentemente fez elogios rasgados ao "funk carioca" e pediu ao público roqueiro, pasmem, ter "mais respeito" ao estilo.

A discussão começou a fugir do setor rádio, que é o enfoque da comunidade Dial do Rio de Janeiro , no Orkut, até que Becker começou a dizer que o blog de Marcelo Delfino "é uma piada". Delfino, indignado, expulsou Becker da comunidade, na qual é moderador, numa atitude que depois ele achou exagerada. Mas isso fez Becker reagir criando outro perfil e entrar novamente na comunidade. Em conversa recente comigo, Delfino, autocrítico, achou que deveria apenas ter apagado o tópico e não tirado Becker da comunidade.

Mas o que se vê nesse incidente é o reacionarismo que radialistas e seguidores ligados à antiga "rádio rock" dos anos 90, a Rádio Cidade, a qualquer discordância de seus princípios de qualidade duvidosa. Eu mesmo tive conflitos com gente considerada "adepta" da dita "rádio rock", seja em sítios virtuais sobre rádio, seja no próprio Orkut, quando eu tive que desfazer de meu primeiro perfil porque alguns delinquentes - da comunidade Eu Odeio Acordar Cedo - ameaçaram invadir meu perfil.

Esses pseudo-rebeldes já tinham transformado, há dois anos, minha página de recados num "chat" privativo deles, só porque eu participava de uma comunidade que falava mal da gíria "balada", a preferida desses pitboys e junkies, por uma simples razão: gírias supostamente "modernas" disfarçam a personalidade ultra-reacionária desses jovens alienados, que já capricham também num visual arrojado que, no entanto, só os transforma numa espécie de "UDN de bermudas".

BRASIL UM PAÍS DE TOLOS É BLOG SÉRIO

O comentário de Paulo Becker contra o blog do Marcelo Delfino foi pura provocação. Algo feito para ofender, mesmo. Não há razão consistente que possa classificar o excelente blog Brasil Um País de Tolos como "uma piada" ou qualquer adjetivo depreciativo.

Acompanhando os sites de Marcelo Delfino, seja o Tributo ao Rádio do Rio de Janeiro e o blog Brasil Um País de Tolos, reconhece-se a seriedade e o caráter informativo de seus textos. O Tributo é mais específico sobre rádio, incluindo desde novidades sobre rádio e questões relacionadas ao meio até uma relação atualizada das emissoras que integram o dial oficial do Grande Rio.

O blog, por sua vez, é mais diversificado. Seu carro-chefe são assuntos de natureza política, mas envolve também cultura, rádio e outras atualidades. Assim como O Kylocyclo, Planeta Laranja e outros blogs, Brasil Um País de Tolos exerce a missão de tentar fazer a blogosfera romper os limites traçados pela mesmice dos chamados "líderes de opinião", que prometem sacudir o país com denúncias e protestos, mas se limitam apenas a reproduzir nos blogs a linha editorial de setores "moderados" mas mesmo assim conservadores da grande mídia.

Por isso é que "piadas", mesmo, são esses blogs que só ficam copiando informes e escrevendo textos frouxos, fazendo uma gororoba ideológica entre a Isto É e a Carta Capital e que fala dos embustes da grande mídia com uma alegria de criança que foi falar com o "Papai Noel" do supermercado. Esses blogs dos "líderes de opinião", sim, é que são ridículos, porque fazem para serem assim, traindo o senso crítico em nome do agrado aos poderosos de plantão.

Já Brasil Um País de Tolos - cujo sucesso se comprova com o aumento de seguidores, de forma espontânea e natural - conseguiu provar ser um blog sério, sem promiscuidade ideológica, informativo e crítico.

O Kylocyclo e seus leitores estão solidários com Marcelo Delfino, manifestando repúdio a reações mesquinhas que só tendem a produzir ofensas e criar desaforos.

Quanto ao Paulo Becker e seu "funk", seria melhor ele deixar de chamar seus ídolos de "grandes artistas" e se limitar a dizer que apenas gosta deles.