segunda-feira, 13 de julho de 2009

POEMA DE PROTESTO




POLÍCIA QUER IMPOR LIMITES AOS "BAILES FUNK". APOIADO!! MAS O PESSOAL ANDA FAZENDO BARULHO CONTRA ESSAS LIMITAÇÕES. PELO JEITO TODO MUNDO ACHA QUE SER BUNDÃO É O MÁXIMO NA CULTURA POPULAR. QUANTA INGENUIDADE...

AQUI VAI UM POEMA DE PROTESTO, CONTRA ESSA BAIXARIA QUE É O "FUNK". ESSE POEMA NÃO TEM RIMA, PORQUE É FEITO PELA MÉTRICA DO CAOS.

PROIBIDO SER DECENTE NO PAÍS DO "FUNK"

É proibido fazer música,
Você é obrigado agora a fazer "funk"
Você é proibido de amar
Proibido de fazer melodias
Proibido de ser decente
De querer amor
De querer inteligência.

O que é a coerência, afinal?
Quando muitos querem ser incoerentes
Porque pensam que a liberdade
É irresponsávelmente livre.

É proibido fazer samba,
É proibido fazer Bossa Nova,
É proibido tocar violão,
É proibido fazer melodias.
Você só deve fazer o "funk"
Ser um bundão sorridente,
Ser um idiota deslumbrado,
Mexer o popozão
Deixará o "sistema" satisfeito.

Finja apenas que é injustiçado:
A mídia gorda lhe estende o tapete,
Você entra e vira celebridade,
Para depois cuspir no prato que comeu.
Depois de curtir tanto a festa
Que a mídia gorda lhe preparou
Você vai para a Caros Amigos
Dizer que a mídia é uma bosta
E que ela não lhe deu espaço,
Afinal você tem que ser valentão,
Ser ingrato e valentão.

Eu quero amar uma mulher decente,
Linda, que seja como eu quero e amo,
Não a funkeira que finge me cobiçar,
Mas que me trata como otário,
Me enche de carinho,
Para depois falar mal de mim pras amigas.
Não, não quero viver
Esse casamento de conveniência
Da era politicamente correta.

Eu não tenho preconceitos,
Sei que o "funk" é coisa ruim,
Porque ele se mostra assim,
Os funkeiros tiram onda,
Todos dizem que "funk" é arte,
Movimento social e libertação,
Mas isso é camisa de força,
O pobre não tem opções,
Ou tem que ser funkeiro
Ou jogador de futebol.
E pensa que ser funkeiro é bonito,
Mas ele faz o jogo dos poderosos,
Que adoram essa confusão funkeira,
Porque lucram por trás
Por esse discurso pseudo-social.

Quero ser feliz com dignidade,
Sem grosserias, sem a exploração dos glúteos.
Sem a camisa de força da cafonice,
Seja axezeira, breganeja, pagodeira, funkeira.
Quero viver a minha vida,
Queria que esse pessoal
Que se diz sem preconceitos
Não tivesse preconceito
Com meu prazer e meus desejos.

Quero um país de cultura digna,
Sem que o povo faça papel de idiota,
Sem que o povo faça papel de bundão,
O bundão feliz do "funk"
Só interessa aos donos do poder
Que se enriquecem com essa farsa
Do discurso "social" do "funk".
Se ao menos o "funk" calasse a boca
E fosse que nem o twist de outrora,
Sem posar de "movimento" ou "arte",
Seria ao menos mais sincero.

Quero viver longe do "pancadão",
Porque ele só me dá dor de cabeça.

SCANIA RETOMA FABRICAÇÃO DE CHASSIZ DA SÉRIE "F"



Uma esperança para os busólogos que sentem saudades da fase áurea da Scania é que a fábrica sueca, na sua filial brasileira, retomou a produção dos ônibus da série "F", com motor dianteiro, o que possibilitará a volta da montadora para o mercado de urbanos, depois do recente fracasso desde o final dos anos 90, quando foram fabricados chassiz menos resistentes e cujo ronco lembra mais uma versão apática do motor Volkswagen.

Por enquanto, vemos uma foto de um ônibus rodoviário com esse novo chassiz.

MULHERES QUE CURTEM BREGA SÃO NA MAIORIA "ENROLADAS"



"Estou carente. Preciso de um homem".

"É um absurdo! Cadê os homens que vocês dizem que estão a fim de mim?".

"Não consigo arrumar um namorado há mais de dois meses".

"Os homens fogem das mulheres, correm de medo".

São "refrões" acima que mulheres solteiras que curtem o som brega-popularesco - a Música de Cabresto Brasileira como a axé-music, o sambrega, o breganejo e o "funk" - falam dos homens, dando a falsa impressão de que elas são solteiras irremediáveis e estão à procura de um homem legal para namorado ou marido de cada uma delas.

Elas estão realmente solteiríssimas, não é mesmo?

ERRADO. Elas estão, na verdade, é ENROLADAS.

Estar "enrolada" é uma moça que terminou um namoro não de forma definitiva, mas pode tanto voltar ao último namorado como pode arrumar outro. Mas, em todo caso, a solteirice é algo que não é firme nem definitivo.

Em outras palavras solteiras desse tipo, em sua maioria, terminaram uma relação de namoro há um tempo, mas ainda que não haja, aparentemente, uma chance de volta, ela está sempre em stand by, ou então há no caminho outros pretendentes, da afinidade delas. Portanto, quem imagina que nerds solitários estão no caminho delas está enganado.

São os mesmos peões, funkeiros, pit-boys, empresários, fazendeiros, pagodeiros e jogadores de futebol que estão atrás dessas moças solteiras. E por que elas não desencalham? Por que existe alguma força oculta que as condena ao celibato eterno?

Nada disso. O que faz elas ficarem "encalhadas" é simplesmente o fato delas estarem bitoladas consigo mesmas, presas ao passatempo viciado do Orkut, ou aos mesmos passeios com suas amigas.

Não é difícil notar que, quando essas garotas vão, por exemplo, a um evento de festa junina, desses cujas atrações principais variam entre um Alexandre Pires, um Chiclete Com Banana e um Bruno & Marrone, elas são constantemente paqueradas por rapazes até com alguma pinta de galã ou de rapagão sarado (se não necessariamente galântico). Mas elas mesmas correm da raia, por puro medo de saírem de suas vidas ainda infantis.

Por isso elas preferem brincar no Orkut a todo momento e ficar mandando mensagens de amor para nerds que só usam o Orkut para coisas mais úteis (como, por exemplo, verificar comunidades de concursos públicos e sobre cinema alternativo), e eles não ficam nesse portal social o tempo todo.

As mulheres que curtem popularesco ou que são associadas a eles - como as dançarinas de pagode ou "funk" - , ultimamente, andam decepcionando porque sonham alto demais na vida amorosa, e isso não é porque elas desejam namorar empresários ou jogadores de futebol, mas porque sonham com nerds que odeiam o universo que elas integram ou apreciam. Mal sabem elas que poderão deixar de ouvir seu Exaltasamba e Bruno & Marrone pelo resto da vida e passar a ouvir a toda hora o Wall Of Voodoo, Killing Joke, Devo, Smiths e até mesmo o heavy metal e o punk rock que elas não aguentariam ouvir.

Com o serviço de utilidade pública de O Kylocyclo dizendo para essas moças procurarem homens da afinidade delas - é mais realista que elas se casem com homens do mesmo perfil de um Daniel, de um Leonardo, Alexandre Pires ou até Fábio Jr. - , nós procuramos prevenir essas moças de viver uma vida infeliz, porque, passado o gosto da primeira aventura, virão as pressões e conflitos que nem as moças mais arrogantes e malcriadas - como, por exemplo, as funkeiras - poderão evitar.

Por isso, pedimos para essas mulheres que curtem brega e neo-brega: deixem nerds e outros homens diferenciados em paz, fujam um pouco do Orkut e não vão para festas e noitadas só para comer bolo de fuba ou tomar licor de jenipapo. Se houver homens do tipo estético do Zezé Di Camargo ou Alexandre Pires assediarem essas moças, que essas moças não tenham medo e aceitem os pedidos de namoro deles.

Para elas, tem que valer o seguinte princípio: melhor um conhecido afim do que um desconhecido estranho. Não se troca afinidade por aventura, na vida amorosa.

ESQUIZOFRENIA: RÁDIO BAIANO



- Você está maluco, jornalista baiano de esquerda? A Rádio Metrópole é comandada por um ex-político de direita, Mário Kertèsz, que foi prefeito biônico de Salvador ainda na ditadura. Era um cara da ARENA, conservador até a medula, ele deve até ter sido udenista de paixão, de carteirinha, reacionário por vocação.

- Não, não posso acreditar. - diz o esquizofrênico jornalista. - Dãããoooooo... Snif... Dãããããoooo... Apoiei ele e ele me espinafrando no seu programa... Dããããõooo... Snif... Dããããooo...

- Mas você e ele estavam sempre em pólos opostos... Você lutava contra a ditadura, tinha uma causa socialista...

- Dãããoooo...

- ...enquanto ele estava sempre ao lado do homem (Antônio Carlos Magalhães) e, depois de eventuais divergências, ele virou carlista de vez...

- Dão bosso agreditá, snif... Eu ouvia os programas da Rádio Metrópole quando Mário espinafrava os políticos do interior da Bahia, eu torcia para que o coronelismo do interior baiano fosse derrubado pela Rádio Metrópole e por seu dono...Gostava até do "Jogo Aberto" apresentado por ele...

- Não, meu caro. Os desafetos eram comuns, mas a causa não. Ele queria derrubar os "coronéis" baianos não para instalar a democracia no interior da Bahia, mas para derrubar desafetos pessoais, visando interesses políticos pessoais...

- Dão bode zer... Snif, snif... Ele deixou a vida política há muito tempo... Snif, snif... Achava que ele passou a apoiar a esquerda, apoiando o Olodum, o Lula, o Jacques Wagner... Pensei que ele virou esquerdista, com aquelas campanhas da rádio... Dãããooo bosso grer... Snif...

- Mas ele continua fazendo política pelo rádio. Politicagem não tem carreira partidária. Basta ter o jeitinho brasileiro e passar a perna em alguém em nome de uma vantagem pessoal, sobretudo financeira, material.

- Dão diga izo... Buááááá.. Dão diga izo... Buááááá...

- E Kertèsz matou o Jornal da Bahia, transformando-o em jornal espreme-sangue...

- Dããããooo... Pensei que isso fosse apenas uma inocente tentativa de salvar as finanças do jornal...

- Você é ingênuo mesmo, jornalista baiano de esquerda. Aliás, você não é ingênuo. Você sofre de esquizofrenia, mesmo. Vá procurar um analista!!

- Dããããoooo... Buáááá, buáááá... Snif, snif.

JÁ QUE A "GALERA" INSISTE: FOTOS DA MULHER MELANCIA




Aqui estão as fotos da Mulher Melancia para a revista Playboy. Não é vontade minha mostrar fotos de musas vulgares, mas já que a playboyzada (não a equipe da revista, mas os jovens tarados, alienados e arrogantes) insiste tanto, aqui estão as fotos.

SCARLETT JOHANSSON



"A Mulher Melancia fez uma sessão para Playboy homenageando Marilyn Monroe".

Ahn?

Mas Scarlett Johansson, que já foi considerada a "anti-Marilyn", fez recentemente uma sessão de fotos inspirada em Marilyn Monroe.

APOIO DE IMPRENSA DE ESQUERDA AO "FUNK" PODE SER JABACULÊ


Foto montagem parodia uma hipotética edição "vendida" da Caros Amigos: crítica ao apoio da mídia esquerdista ao "funk"

Rumores indicam que o apoio da imprensa de esquerda ao "funk carioca" pode ser fruto de uma prática de jabaculê.

Sabemos que o jabaculê é o nome dado ao esquema de corrupção que atinge os meios de comunicação, das mais diversas formas.

Na mídia esquerdista, o jabaculê pode estar ligado a um esquema de lobby de uma ala "injustiçada" do "funk carioca", que na sua concorrência acirrada com os chamados "chefões do funk", viu não serem possíveis suas chances de ocuparem a elite do mercado funkeiro.

Apesar disso, não significa que os funkeiros "discriminados" representam, realmente, uma ala "marginal" do gênero, até porque nomes como MC Leonardo e Mr. Catra contam também com o mesmo apoio da "mídia gorda" que os dois funkeiros aparentemente combatem e para a qual atribuem um suposto desprezo contra eles.

"FUNK DE ESQUERDA" NÃO PASSA DE ARMAÇÃO

O "funk carioca", com suas limitações sérias como estilo musical, a ponto de levar em cheque até mesmo sua condição de "música", já obviamente de caráter duvidoso, é sempre igual. Seja ele "proibidão", "comercial" ou "de protesto". Não existe diferença fundamental entre SD Boyz, Gaiola das Popozudas ou MC Leonardo, todos fazem o mesmo tipo de som, com variações insignificantes, e a mesma qualidade discutível.

Mas os funkeiros que foram deixados de fora do "mercadão", vendo que não dá para aparecer em todas as rádios nem ir além de meros coadjuvantes na projeção da grande mídia, passaram a adotar um discurso "militante", criando estrutura política, lobby partidário e até mesmo tráfico de influência nas rádios comunitárias, que em parte já sofrem interferência de grupos políticos. Tudo isso visa uma estratégia "alternativa" de dominação dos empresários funkeiros: se não dá para competir no mercado com figurões como o DJ Marlboro e Rômulo Costa, domina-se pelo outro lado, os setores sociais de esquerda. Graças a essa estratégia, cientistas sociais também são seduzidos pelo discurso e pela falsa imagem de "perseguido" do "funk carioca".

Levando às últimas consequências o discurso do marketing da rejeição, os funkeiros "discriminados" criam um discurso de "esquerda" que, de tão bem construído - mas copiado de militantes sociais autênticos, sobretudo ligados ao hip hop - , passou a ser publicado largamente pela imprensa esquerdista. Consta-se que a mídia de esquerda recebeu alguma gratificação dos funkeiros "discriminados", como compensação ao fato da mídia de esquerda não depender de grandes anunciantes nem da exclusividade publicitária de empresas estatais.

Recentemente, os dois veículos da mídia de esquerda, Carta Capital e Caros Amigos, tentaram publicar anúncios ligados ao Grupo Bandeirantes de Comunicação, mas em se tratando deste uma grande corporação de mídia, a terceira do país, a iniciativa tornou-se inviável. Numa edição de Caros Amigos, enquanto aparecia um anúncio da Band News FM com Bóris Casoy entre os jornalistas fotografados, o mesmo anchorman era espinafrado por um colunista na mesma edição.

ARACAJU



Para finalizar essas lembranças do dia 13 de Julho, lembremos que a capital de Sergipe, Aracaju, tem um bairro e uma praça com este nome.

CIRO MONTEIRO



13 de julho também é o dia dos fãs de samba se lembrarem do prestigiado cantor Ciro Monteiro, que faleceu no referente dia do ano de 1973. Bastante popular em sua época, sobretudo nos anos 50, hoje ele está momentaneamente esquecido do grande público, iludido pelos sambregas que gravam paródias de soul music em ritmo de samba e não sabem a diferença entre maxixe e samba de gafieira, mas que só por se apresentarem sentados se acham os maiores sambistas do país (ah, e só por serem meros enchedores de platéias).

JOÃO BOSCO



Ah, hoje também é aniversário de João Bosco, o autêntico, representante da MPB, a autêntica. Parabéns a este cantor injustiçado que, pelo jeito, também corre o risco de ser conhecido pelo grande público como um one hit wonder, apesar de seu farto repertório e de sua trajetória de mais de 30 anos. Infelizmente a mídia gorda hoje só se lembra dele pela música "Papel Marché".

Para piorar, João Bosco, o original, começa a ser passado para trás por um espertinho de uma dupla breganeja que, graças ao nome artístico igual - pouco importa se é ou não o nome de batismo do jovem breganejo - , junto a outro chamado Vinícius, já começam a aparecer com mais destaque na Internet e na mídia, com o apoio maciço dos empresários de agronegócio que patrocinam decisivamente os breganejos.

Pior é que, a cada dia, quando se escreve apenas a palavra-chave "João Bosco" na busca de imagens do Google, já aparecem mais fotos, na primeira página, com a duplinha breganeja.

Não liga, não, João Bosco (original). Com o passar do tempo, essas duplinhas "sertanejas" serão apagadas pelo juízo do tempo, e só os verdadeiros nomes da MPB (não confundir com os enchedores de platéias) é que permanecerão na História, relembrados por sucessivas gerações.

DIA DA "MÚSICA SERTANEJA": A VERDADEIRA OU A FALSA?


Mas hoje se celebra também o dia da música sertaneja. Do jeito que estão as coisas, com a mídia gorda / gordinha e até a de esquerda embolando as coisas, o dia também celebra a falsa música caipira, que tem o apetite voraz de se apropriar da original para assim matá-la de vez, entregando todo o filão da música rural brasileira a breganejos esquizofrênicos, que se identificam mais com a country music estereotipada, que já dilui a música country lá nos EUA, do que com a música rural ou com a MPB mais poética.

Lembrando muito bem que os ídolos breganejos se ressentem de não ter a mesma veia poética e melódica e nem a harmonia vocal dos cantores e músicos do Clube da Esquina, e volta e meia tentam se apropriar do repertório desse movimento mineiro para se autopromoverem às custas do prestígio alheio.

Aqui ficam, no entanto, minhas sinceras felicitações aos verdadeiros músicos caipiras brasileiros, que lutam para não fazer sua música desaparecer. E a Rolandro Boldrin, Inezita Barroso e José Hamilton Ribeiro, por divulgarem corajosamente a verdadeira música rural de nosso país.

13 DE JULHO - DIA DE NOSSA SENHORA DA ROSA MÍSTICA

Falam de uma data especial celebrada hoje, 13 de julho.

Mas que data é esta, mesmo?



Bom, hoje é o dia da Nossa Senhora da Rosa Mística, data comemorada pelos católicos em homenagem às aparições de Maria, mãe de Jesus, em diversos lugares.

Minhas felicitações sinceras para os religiosos que dedicam este dia à santa. Que possam ter um dia de paz e confraternização mesmo dentro desta humanidade turbulenta.