sábado, 20 de junho de 2009

ALEXIS BLEDEL


Vemos aqui uma das fotos encantadoras da lindíssima Alexis Bledel, que fez a personagem adolescente do seriado Gilmore Girls. Ela sempre cativou com sua beleza e doçura, mas nos últimos anos ela caprichou mais ainda na sua beleza impactuante. Sem falar que ela tem um corpão, ela não é a magrinha que as roupas que ela usava no seriado davam a falsa impressão de ser.

Nesta foto que vemos, Alexis parece uma princesa de filme épico, tão refinados e surpreendentemente belos são seus traços faciais.

CRISE NO RÁDIO: TRIBUTO AO RÁDIO DO RJ DÁ O RECADO



O nosso amigo Marcelo Delfino, do Tributo ao Rádio do Rio de Janeiro, escreveu este texto no referido site, um texto que merece ser divulgado para mais pessoas lerem. Segue o texto dele logo abaixo:

Como vemos, o rádio digital caminha a passos largos no Primeiro Mundo. Aqui neste país de tolos, o ministro Hélio Costa prefere fazer turnê nacional de inauguração de canais de TV digital, ao invés de trabalhar pela implantação do rádio digital.

Durante os últimos anos, Hélio Costa trabalhou lado a lado com o lobby em favor do sistema de rádio digital IBOC americano, que é inferior ao DAB europeu e é mais caro, inviabilizando a sua implantação em rádios pequenas e rádios comunitárias. Várias rádios gastaram dinheiro para testar o sistema IBOC, como as rádios dos sistemas Globo e Associados. Se deram mal: todas elas tiveram uma considerável queda do nível de sinal, como a poderosa Tupi AM carioca. Em São Paulo, aconteceu o mesmo com várias AMs. Só escaparam as rádios cujas cúpulas previram o fracasso do IBOC no Brasil. Tutinha, o homem do grupo Jovem Pan, disse claramente que não confiava no IBOC, e não implantou o sistema nas rádios do seu grupo. Agora colhe os louros da boa visão.

Foi preciso que uma boa alma alertasse o ministro Hélio, para ele desistir de implantar o IBOC e abrir outra consulta pública. O resultado é que várias AMs que caíram no conto do ministro estão adotando a solução mais porca para solucionar o problema da piora de sinal: estão colocando seus sinais simultaneamente em FM. Como é o caso vergonhoso da Tupi AM, da CBN, da Bandeirantes AM de São Paulo...

A Tupi AM e seus comunicadores espalham aos quatro ventos que o FM é tecnologia de ponta, só porque mais novo que o AM e está presente em todos os aparelhos de MP3 e telefones móveis. "Tupi em todos os rádios", é o lema da campanha da Tupi a respeito de seu imoral sistema de transmissão AM+FM.

Na Holanda, os tecnocratas do rádio ordenaram o fim de todas as transmissões em AM. Quem não virou "AM em FM" saiu do ar. A segmentação do rádio se deu mal, enquanto o DAB não chega por lá.

A verdade é que tanto o AM analógico como o FM analógico são tecnologias ultrapassadas, e o rádio tem que caminhar rumo à digitalização. É isso que tem que ser colocado na cabeça do Ministro das Comunicações e dos tecnocratas do rádio, do Governo e das emissoras.

O rádio digital permite uma quantidade e uma variedade maior de emissoras. E, se for adotado um sistema de banda distinto do AM e do FM, como o DAB, poderão ser abrigadas todas as atuais AMs e FMs de todas as localidades, mesmo as rádios do saturado dial paulistano, e ainda poderiam abrir espaço para mais rádios diferentes. Adotando-se uma banda abrangendo todas as atuais AMs e FMs, acabariam os discursos imorais pró-AM em FM e pró AM+FM.

Deve-se tomar cuidado para não entregarem os canais digitais aos mesmos membros do atual Mercadão das Drogas de Rádio. Senão, o dial digital ficará como o dial analógico: tomado pela jabazaria, pela politicagem ideológica e partidária, pela politicagem futebolística e pelos picaretas de Cristo.

Continuemos brigando por um rádio decente e democrático, tanto analógico como digital.