terça-feira, 16 de junho de 2009

RÁDIO FM VAI ACABAR NO REINO UNIDO, DAQUI A CINCO ANOS



Essa notícia cai como uma bomba. O rádio FM, na Inglaterra, vai acabar em 2015. Todas os transmissores serão desligados. O DAB vai tomar o lugar da Frequência Modulada.

E os empresários de rádio brasileiros achando que rádio FM é tecnologia de ponta. Rá, rá, rá...

Aqui está a notícia publicada pela Folha de São Paulo:

Rádios via FM serão desligadas em 2015 na Inglaterra, diz relatório

da Folha Online

Um relatório do Digital Britain (Departamento para Cultura, Mídia e Esportes) divulgado nesta terça-feira (16) aponta que as estações de rádio via FM (frequência modulada) serão transmitidas apenas até 2015 em países do Reino Unido.

A estimativa foi baseada no objetivo do governo para que todas as estações transmitam apenas em sinal digital.

O ministro das Comunicações Stephen Carter confirmou que o rádio analógico tem data de desligamento para 2015, segundo informou o secretário de Cultura, Ben Bradshaw, para a Casa dos Comuns britânica hoje.

Segundo o jornal "The Daily Telegraph", o desligamento de todas as estações de rádio nacionais --e a maioria das locais-- é uma meta que ambiciona a migração para o sinal DAB (Difusão de Áudio Digital, na sigla em inglês).

Em países do Reino Unido, a frequência digital (com internet inclusa) responde por 20,1% de todas as audições nos três primeiros meses de 2009, de acordo com dados da organização Radio Joint Audience Research. Dentro do número, o sinal DAB responde por 12,7% das audições digitais.

"Para que o rádio prospere na era digital, nós precisamos de uma estratégia digital e, em uma primeira atitude, encorajamos o Digital Britain a iniciar um plano de metas para o futuro da nossa indústria. Essa é a nova prioridade", diz o diretor-executivo do RadioCentre, Andrew Harrison.

SUGESTÃO: CONDOMÍNIOS DEVERIAM INVESTIR EM TRATAMENTO DE ÁGUA



O governo do Estado do Rio de Janeiro recebeu verba do Governo Federal para despoluir os lagos localizados no entorno de Jacarepaguá, Tijuca e Barra da Tijuca. Ótima idéia, a observar que a poluição é um assunto nada recente, e aqui vemos uma foto de 2007 feita pelo repórter fotográfico Custódio Coimbra.

Mas uma boa sugestão que Sérgio Cabral Filho e Eduardo Paes, respectivamente governador fluminense e prefeito carioca, poderiam seguir, é determinar que todos os condomínios que estejam localizados perto de rios, lagos e similares sejam obrigados a investir em tratamento de água, para que não seja despejado esgoto. A natureza agradeceria a quem investisse nessa idéia, que ajudaria a diminuir os custos governamentais.

MORRE GUITARRISTA DO GRUPO VENTURES



Ultimamente ando ouvindo muito o então rock alternativo da época, o instrumental guitar music, que gerou uma série de bandas no mundo inteiro, desde os belgas The Cousins até os brasileiros The Jordans.

Tinha até uma banda australiana (que geralmente usa o termo "sufr rock" noutro contexto, através de grupos como Gangajang, Australian Crawl e Hoodoo Gurus) do surf rock tal como sew conhecia nos anos 60, The Atlantics. E tinha bandas britânicas como Shadows (ainda na ativa) e Nero & The Gladiators, anos antes da chamada "invasão britânica" puxada pelos Beatles. E havia bandas que eventualmente gravaram faixas vocais.

A onda toda do instrumental guitar, no melhor sentido da palavra "onda", durou de 1958 a 1965, mas algumas bandas continuaram em atividade e o fenômeno gerou frutos até na new wave norte-americana.

Veio a notícia do falecimento, no último dia 14, de mais um membro dos Ventures (cuja música "Walk don't run" tocou no seriado Anos Incríveis e na comédia juvenil American Pie 1), Bob Bogle, que fundou a banda juntamente com Don Wilson, que mantém a banda atualmente. Outros membros falecidos foram os bateristas Howie Johnson (em 1988) e Mel Taylor (em 1996).

Os Ventures eram uma das mais populares bandas de instrumental guitar, pendendo para o surf rock (geralmente, umas bandas tendiam para isso, outras pendiam para o som das trilhas de western). E "Walk don't run" era uma música surpreendente, uma "canção de guitarras" cuja força melodiosa era arrojada no hoje distante ano de 1960.

Segue aqui uma nota que reproduzi do portal G1:

Morre o guitarrista solo dos pioneiros do surf rock The Ventures

Bob Bogle morreu aos 75 anos em Tacoma, nos EUA.
The Ventures foi uma das bandas mais populares de rock instrumental.

Da AP

Bob Bogle, guitarrista solo e cofundador da banda de surf rock The Ventures, conhecida pelos hits instrumentais da década de 1960 como “Walk, don’t run”, morreu aos 75 anos.

Don Wilson, o outro cofundador da banda, disse ao jornal “The News Tribune”, de Tacoma., que Bogle adoeceu no fim de semana e morreu no último domingo (14).

O grupo vendeu milhões de discos e influenciou inúmeros guitarristas. Entraram para o Rock And Roll Hall of Fame em 2008. O site do Hall of Fame celebra os Ventures como “o mais bem sucedido conjunto instrumental na história do rock and roll”.

“Walk, don’t run”, chegou ao segundo lugar da Billboard em 1960, e uma outra versão, “Walk, don’t run ‘64’”, chegou à oitava posição em 1964. Entre os outros sucessos da banda estão “Perfidia” e a música tema da série “Hawaii 5-0”.

O grupo nasceu em 1958 em Tacoma. Bogle tocava a guitarra solo e o baixo no início, e Wilson tocava a guitarra base. Logo se juntaram a eles o guitarrista Nokie Edwards e o baterista Howie Johnson, que mais tarde seria substituído por Mel Taylor.

“Nossa aspiração era não ter que levantar nada mais pesado que uma guitarra (para trabalhar), disse Wilson em 2008. “Mas cresceu para algo tão grande que ficamos internacionalmente conhecidos”.

Os Ventures foram particularmente populares no Japão, onde Wilson e Bogle se apresentaram como uma dupla na sua primeira turnê em 1962 porque o produtor não tinha dinheiro para pagar os outros dois membros.

Os dois americanos causaram uma impressão tão forte, lembrou Wilson em 2008, que quando a banda voltou ao país em 1964, “6.000 pessoas estavam nos esperando no aeroporto”. Ele disse que ele não acreditava que os fãs estavam lá realmente para ver os Ventures.

OLHA SÓ QUEM FALA



Os defensores da música brega acusam os defensores da autêntica MPB de estarem parados no tempo e defenderem um tipo de música que parou em sua época.

Mas a música brega é, na verdade, uma caricatura de ritmos já considerados ultrapassados em seu tempo. Os primeiros ídolos bregas eram caricatura dos antigos seresteiros, anos depois das serestas terem saído de moda. Logo depois, vieram os cantores retardatários, que faziam Jovem Guarda depois que a Jovem Guarda original, como movimento, já havia acabado.

A MPB autêntica, por sua vez, continua viva, atuante, atemporal e sempre atual.

COMO UM FUNCIONÁRIO DE RÁDIO PODE SE PASSAR POR OUVINTE COMUM


Esta história é fictícia mas se baseia numa realidade que se oculta pela realidade virtual.

O coordenador de uma FM com roupagem de AM de São Paulo aconselha seu principal estagiário do setor de produção, Pedro Cerqueira:

- Olha, Pedro, eu quero que você entre nos fóruns de Internet e na comunidade do Orkut se passando por um ouvinte comum. Crie um login usando um pseudônimo e use ele toda vez que quiser mandar uma mensagem.

- Mas o pessoal pode depois descobrir que eu sou funcionário da rádio. Uns vão ver o IP da minha mensagem e vão rastrear o computador de onde ela saiu.

- Não, não acredito que isso ocorra, não. E, se ocorrer, pode se passar por um computador doméstico. Vai lá, tente fazer alguma coisa. Nossa rádio não está fazendo sucesso algum, mas você pode mandar mensagem para o Tudo Rádio ou o Rádio Base que vai repercutir legal. Eu não vou ficar o tempo todo pagando frentista de posto de gasolina, dono de boteco, porteiro de edifício e taxista para sintonizar as transmissões esportivas de nossa rádio. A "galera" que saca de rádio já está desconfiando. Tem que ter alguém para dar impressão de transparência para a rádio.

- Tudo bem. Mas isso não vai tomar muito tempo do meu trabalho?

- Que... Você não tem muito o que fazer, não é? Pois é melhor fazer o que digo do que você ficar no MSN com sua namorada. A namorada você curte fora do trabalho. O que lhe peço tem tudo a ver com a empresa. É pelo faturamento dela.

- Certo.

Assim, Pedro Cerqueira cria um login na Internet, lançando um e-mail no Google e adotando a alcunha de Jorge Nascimento. No Orkut, então, ele adota a alcunha Jorjão Show de Bola. Como foto, ele usa uma foto em que ele aparece de perfil, pensativo. Ele usou pseudônimo, mas poderia ter usado o próprio nome, mas sem se identificar como funcionário de rádio, que daria no mesmo.

Ele entra na comunidade sobre rádio carioca no Orkut, e existe um fórum sobre a crise do rádio FM. Ele escreve uma mensagem defendendo a Aemização das FMs (claro, quer "vender o peixe", trabalha numa FM Aemizada), alegando que haverá mais espaço para jornalismo, esportes, interatividade etc.. A argumentação dele é tão construída que outros participantes, na sua boa-fé, cai no conto dele e escrevem mensagens ingênuas do tipo:

Certamente haverá mais cidadania no rádio.

Brou, vô skutá a fm adoidado no meu celular.

Cara, vou mandar currículo para ver se trabalho na rádio.

Puxa, aquele locutor esportivo é o meu preferido. Naum tm pra ninguem, ele narra como nenhum outro.

De repente, aparece um cara contrariado que fala que a Aemização das FMs vai discriminar as demais emissoras AM, que contarão com concorrência alienígena, ou seja, desleal. Jorjão Show de Bola, arrogantemente, despeja uma resposta agressiva:

De que planeta vc eh, kra pálida? Ninguém tah falando que a AM vai sofrer com nada. Vc kr que FM só tok musica eh? E informação vc naum kr naum? Kr ovi musica compre seu I-Pod.

Os demais participantes, em maioria, aplaudem Jorjão, sem saber que ele representa os interesses de uma rádio. O lobby foi todo feito, até que, meses depois, a rotina mostre a verdadeira face horrenda da Aemização das FMs (fenômeno que instala o capitalismo selvagem no rádio brasileiro e despeja overdose de informação nos ouvidos das pessoas, tal qual a pimenta que é vista como refresco no ditado popular) e os erros dessas emissoras apareçam.

Mas Jorjão Show de Bola passou incólume, algum talvez tenha achado que ele era funcionário de rádio mas Jorjão logo desmentiu com tamanha verossimilhança que todos acreditaram que ele "não" era funcionário de rádio. Tempos depois, ele some do Orkut e deixa de usar a Internet. Foi promovido sub-gerente da tal FM paulista.

Ninguém mais falou do tal Jorjão.

OS SUCESSOS DA RÁDIO NATIVA FM


Lixo nas ruas. É o sucesso da Rádio Nativa FM defecando nos 103,7 mhz cariocas. O verdadeiro horror do Rio.

TUDO POR DINHEIRO


Certa vez, no Domingão do Faustão, a dupla breganeja Victor & Leo - certamente os caras não devem ter esses nomes - disse que não fazia música por dinheiro.

Então tá. E o Egberto Gismonti é que é comercial, não é?

Fala sério...

Como nós sabemos, o breganejo é movido por máquinas registradoras, como todo ritmo e tendência da Música de Cabresto Brasileira.