terça-feira, 9 de junho de 2009

PARABÉNS, NATALIE PORTMAN!!


Hoje é o aniversário da estonteante atriz NATALIE PORTMAN, que completa 28 anos mantendo todo esse ar angelical de brotinho.

Ela é muito especial, porque se trata de uma atriz sofisticada, lindíssima, sensual, inteligente (com ótimos referenciais), formosa (como se vê nesta foto na praia), que no entanto adota uma postura aparentemente modesta e discreta, se recusando até a falar sobre as inevitáveis comparações com a saudosa atriz Audrey Hepburn.

Pois é nisso que está a vantagem dela. Enquanto muitas boazudas - da hasbeen Pamela Anderson às vadias mulheres-frutas - forçam a barra com uma pseudo-sensualidade mais grotesca que sedutora, Natalie dá um jeito para ser sexy e sedutora mantendo simplicidade, charme, beleza e ternura. Daí Natalie ser o símbolo da mulher de todos os sonhos.

Parabéns, Natalie, pelo seu aniversário. Que tenha saúde, vida longa, felicidade, e que mantenha sempre este brilho singelo de sua luz própria.

SISTEMA DE 'POOL' EM ÔNIBUS TEM QUE SER PROVISÓRIO


Eu até gostei dos novos carros da Cidade do Aço e Costeira para o serviço Baixada Fluminense - Barra da Tijuca de ônibus fluminenses, assim como gostei, por exemplo, dos da Auto Lotação Ingá junto à Tinguá Transportadora. Mas não vejo com bons olhos o serviço de 'pool' nos ônibus, que sempre é carregado de tendenciosismo e oportunismo.

Ainda vou falar melhor sobre o sistema de 'pool', medida paliativa de transporte coletivo que surgiu, como fórmula "permanente", a partir do governo de Fernando Collor.

Essa medida consiste em colocar algumas linhas de ônibus para serem operadas, cada uma, por mais de uma empresa, a pretexto de custos, aumento de frota e outras desculpas. Por debaixo dos panos, existem interesses eleitoreiros de empresários de ônibus (que se aliam a certos grupos políticos), que jogam seus colaboradores, dos filhos mais novos aos estagiários de suas empresas, para, disfarçados de "busólogos comuns", convencerem as massas de que linha de ônibus é melhor quando operada por mais de uma empresa.

A realidade mostra que isso não é verdade, e, quando muito, o 'pool' deveria ser apenas uma medida emergencial, diante de falência de empresas de ônibus, não de uma forma "definitiva", como se durasse até o fim dos tempos.

O 'pool' tem mais desvantagens que vantagens. Disfarça a precariedade do serviço de uma linha, ao invés de resolvê-la. Faz as autoridades ficarem mais tolerantes com as empresas ineficientes, porque basta botar outra para operar junto que o problema logo se disfarça e o usuário nem percebe.

A operação Baixada-Barra é operada quase toda em 'pool'. Os busólogos acham que a organização e distribuição de linhas é definitiva. Mas, apesar da licitação de 15 anos - muito longa para operações que envolvem 'pool' - , tudo pode mudar, e nada impede que mesmo linhas em 'pool' possam ser operadas, antes do fim do prazo, por apenas uma empresa. Até lá, poderão ser redefinidos ramais, itinerários, e mesmo as empresas envolvidas verão o quanto operar uma linha pela metade é desvantajosa e não menos onerosa.

Ao longo deste blog irei falar mais sobre o assunto.

Tanta autoridade elogiando "rádios AM em FM"? Onde há fumaça, há fogo...


Muito estranho. Esse filme todos já viram, em caráter regional ou nacional. Quando alguma "rádio AM em FM" é lançada, seja um mero programete "de locutor" ou seja uma afiliada de rede ounius, ou então alguma nova repetidora de emissora AM na mesma região, o que há são declarações de autoridades e políticos elogiando a tal FM, com mil bajulações, comentários delirantes, expectativas mirabolantes. "Enfim, a cidadania no 'dáiou'", exagera um. "O cidadão foi presenteado com uma poderosa rádio", delira outro.

Foi assim com a tal "Super Rádio Tupi" dos 96,5 mhz cariocas. Até Lula delirou, mas aí os "líderes de opinião", que quando querem reforçar seu (pseudo) esquerdismo falam mal do presidente, mas dando uma impressão de que aderiram ao trotski-guevarismo, pouparam o presidente, afinal eles gostam de tais comentários, mais delirantes quanto a fértil imaginação dos viciados em ácido lisérgico (LSD).

Mas esse filme existe até na ridícula e patética Rádio Metrópole, de Salvador (Bahia), onde até hoje tem autoridade telefonando para elogiar a "excelente programação da emissora" e a "integridade" (sic, para reforçar as aspas) do seu empresário.

Quando há, nestes casos, uma euforia maior que a festa, nossa reação, como pessoas responsáveis, não é outra senão a de desconfiar. Por trás dessas "calorosas declarações", há um desejo pessoal de visibilidade, por parte das autoridades declarantes, que qualquer programação "informativa" da grande mídia oferece. Seja para políticos, dirigentes esportivos, professores universitários, todos embarcando, feito candidatos ao próximo Big Brother Brasil, ao circo do exibicionismo midiático, tudo em nome de uma "cidadania de resultados".

POLITICAGEM FM

Quem está por trás das "rádios AM em FM"?

- Ora, é o cidadão. - diz o "líder de opinião", com ar de pretensa convicção.

Errado, prezado escriba da mídia fofa. Quem está por trás das "rádios AM em FM" mostra o quanto a badalação dessas rádios é muito maior do que o sucesso que elas obtém, pois muitas dessas rádios ficam atoladas entre o 15º e o 16º lugar entre um dial de 30 FMs - algo como estar entre o 7º e o 8 lugar num dial de cerca de 14 FMs - e mesmo assim ficam se achando. "Nossa rádio não quer saber do ouvinte, quer saber é do cidadão", delira, demagógico, o coordenador de uma dessas FMs, sem saber que tal declaração soa jocosa para o anunciante.

Por trás dessas rádios, há políticos de direita e centro-direita, dirigentes esportivos, empresários da grande mídia, etc.. Sim, essas FMs fazem parte do circo da mídia gorda, embora o "líder de opinião" tente desmentir. Até anteontem, ele não acreditava que a Rede CBN fazia parte da mídia gorda, ele pensava que a rede radiofônica fazia parte de uma "esquerda responsável", diferente dos "baderneiros" da imprensa sindical...


Um exemplo disso é como surgiu a rádio CBN Curitiba FM, que desalojou a história rádio de rock Estação Primeira FM e durante anos foi endeusada pelas pessoas até os astros-jornalistas da CBN exibirem seu reacionarismo que seus paletós impecáveis prenunciavam sem que alguém pudesse desconfiar (a não ser nós, é claro).

A CBN Curitiba foi investida por um dirigente esportivo do Atlético Paranaense, que comprou a marca CBN para integrar a "nova" emissora, numa clara relação entre rádio e politicagem, que envolve "cartolas" e grupos de rede. Pois um banqueiro e também dirigente esportivo - integrante da diretoria do Paraná Clube - , e também político de direita, comprou a antiga Estação Primeira e a incluiu no seu "pequeno" grupo midiático, que inclui uma AM curitibana e mais a antiga Studio 96, que num arranjo com a mídia fofa virou Band News Curitiba.

E, para quem pensa que a Band News é "de esquerda", é bom logo avisar que um dos primeiros políticos a serem entrevistados pela afiliada curitibana é o senador paranaense Álvaro Dias, do PSDB, um dos mais ferrenhos opositores do governo Lula e uma das principais figuras da direita brasileira.

É certo que Lula decepciona pela presença forte do fisiologismo político, que por sua vez faz suas jogadas em outras "rádios AM em FM", como em outras afiliadas da Band News, na Infra Rádio Tupi e, em caráter misto com os herdeiros do carlismo (que é aliado do PSDB), na Rádio Metrópole de Salvador (outra assim, assim com os "cartolas", no caso os do Esporte Clube Vitória).

Mas no jogo da mídia, há quem está a favor ou não do governo federal atual, e o perfil das "rádios AM em FM" tende a ficar num teatro maniqueísta comparável com a ditadura, uma vez que a mídia gorda propriamente dita (CBN, Rádio Gaúcha e simpatizantes) faz o papel da antiga ARENA (hoje feito pela dupla "sertaneja" PSDB e DEM) e a mídia fofa (Band News, Rádio Tupi e simpatizantes) faz o papel do antigo MDB (hoje desempenhado, evidentemente, pelo PMDB e outros partidos simpatizantes do fisiologismo festivo).