domingo, 24 de maio de 2009

PARECEM IRMÃS


CHRISTIANE PELAJO e DANI CALABRESA são duas gracinhas lindas, gostosas, graciosas, sexy. E ainda por cima são parecidas. Uau!!

MORRISSEY


Não me esqueci do aniversário de Morrissey na última sexta-feira. É porque estava muito ocupado e não pude atualizar todos os sites que faço. Além disso, havia o impacto do falecimento do Zé Rodrix, mais um grande nome da música a ir embora neste planeta tomado pela mediocridade galopante.

Pois Morrissey é uma das raras vozes anti-mediocridade que resiste bem. Dizem, todavia, que ele está doente. Espero que não seja grave. Saúde e longa vida para ele.

O GADO DA NATIVA FM É MAIS ECLÉTICO


A Rádio Nativa FM, que tirará do ar a Antena Um, é de propriedade dos irmãos Júnior e Neneto Camargo, que em outros tempos eram os donos da patética "rádio rock" 89 FM de São Paulo. O pai deles, José Camargo, foi até filiado do PDS (o partido político que foi UDN e ARENA e depois veio a ser o PFL e hoje o DEM).

Seu perfil popularesco é eclético, embora toque muito breganejo que é o cardápio único da Tupi FM paulista que, do contrário que inicialmente pensamos, não entrará no dial carioca.

Por isso mesmo, o gado, ou melhor, o público-alvo da Nativa, é bem mais eclético, mas uma coisa é certa: SÃO TODOS UNS CARNEIRINHOS.

CORREÇÃO SUBSTITUI NOTÍCIA RUIM POR OUTRA IGUALMENTE RUIM


Uma correção que não representa alívio algum para os verdadeiros radiófilos - só entusiasma os fanáticos modulados - a respeito da dança das cadeiras radiofônicas que tirará do ar a Antena 1 FM do Rio de Janeiro. A Rádio Tupi que entrará no lugar da Nativa, que migrará para o espaço da Antena 1, não é a FM breganeja paulista, mas a clone da Super Rádio Tupi AM.

É uma grande decepção essa notícia envolvendo uma das tradicionais emissoras AM do Rio de Janeiro, que, como quem corre da raia, prefere criar clone em FM do que investir na digitalização do rádio AM. Embora os fanáticos modulados e outros deslumbrados achem esta nota um exagero, e que uma "rádio AM em FM" é melhor do que FM de breganejo - no fundo, isso soa como trocar seis por meia-dúzia, até porque dá ao rádio FM um jeitão de coisa matuta e atrasada - , a notícia é da mesma forma ruim.

Poucos reconhecem a farsa da dupla transmissão AM/FM, que na verdade é uma armação que visa o superfaturamento das emissoras de rádio. Para o ouvinte, é uma rádio que tem duas frequências, mas para as autoridades, as agências de telecomunicações e sobretudo os bancos financiadores, são duas rádios diferentes.

A farsa, tão docilmente apelidada de "rádios AM + FM" mas cuja transmissora FM apelidamos de "papagaio eletrônico" (papagaio porque não produz mensagem, só emite), significa o seguinte: UMA RÁDIO FAZ UM TRABALHO SÓ E FATURA DUAS VEZES POR ISSO. O que significa que, na hora de pedir empréstimos aos bancos para pagar equipamentos, técnicos, profissionais etc., o empresário de rádio cita o nome jurídico das duas emissoras, a AM e a FM, a mesma dupla que é vista como um "gracioso" monstro de duas cabeças pela "galera" (atenção para as aspas; a gíria não é jargão nosso) que adora overdose de informação, rádio FM e mídia gordinha.

Só um exemplo. Tem duas rádios: Jaboticaba FM e Abacate AM. As duas unificaram a transmissão e na mesma região irradiam a Rádio Abobrinha. Você liga o rádio, compara as duas sintonias, e vê que a programação é uma só, até os comerciais são os mesmos. Mas, na hora de recorrer aos bancos para financiar investimentos de alto custo, o dono vai logo alertando que são duas rádios, Jaboticaba e Abacate, não a Rede Abobrinha que os ouvintes conhecem, os "líderes de opinião" fazem oba-oba e os colunistas de rádio babam ovo.

É uma versão doméstica das infames redes via-satélite que desregionalizaram as programações de rádio e demitiram um monte de gente. E, o que é pior, a Rádio Tupi investe na Aemização da FM quando as rádios CBN e Band News Fluminense tomam uma violenta surra no Ibope.

Bom, para todo efeito, vamos combinar uma coisa: a Super Rádio Tupi continua sendo TÃO SOMENTE a emissora AM, enquanto seu papagaio eletrônico será apelidado, a partir de junho, de INFRA RÁDIO TUPI.

LUÍZA BRUNET


Eu adoro essa mulher desde meus 10 anos de idade, em 1981. Classuda, sensual, lindíssima, com um corpão sedutor, até hoje, quando completa 47 anos de idade. E, embora tenha se casado cedo e tendo passado por outro casamento (este mais longo e com filhos), ela hoje reforça o ainda escasso time das lindas solteiras interessantes de nosso país.

Parabéns, saúde e longa vida, adorável Luíza.