sexta-feira, 22 de maio de 2009

AEMIZAÇÃO DAS FMS É NEOLIBERALISMO NO RÁDIO


A pretensa "racionalidade" da mídia gordinha (aquela mídia gorda que fica de fora das críticas dos "líderes de opinião"), junto à aplicação da ideologia capitalista selvagem dentro do meio rádio. A Aemização das FMs, que inclui populismo de direita, neoliberalismo, "livre iniciativa" que é desculpa para a concentração de poder de uns privilegiados, overdose de informação para confundir as massas, esporte para alienar a moçada.

Tudo isso deixa o rádio FM brasileiro com um forte odor direitista, que infelizmente os colunistas de rádio não enxergam (os "líderes de opinião" também não). E ainda tem gente que espera que o pensamento de esquerda circule livre, leve e solto nessas FMs. Grande ilusão.

ZÉ RODRIX


Morreu Zé Rodrix, representante do rock rural brasileiro dos anos 70.

Pelo menos pude pegar no eMule, semanas atrás, a música "Mestre Jonas", que ele gravou com Sá & Guarabira e que marcou minha infância, lá por 1976.

Vai-se mais uma referência de música de qualidade, de inteligência e de humor, numa época em que a mediocridade cultural atinge níveis alarmantes.

CABO ANSELMO E O PLAYBOY DA BARRA DA TIJUCA


UMA FICÇÃO QUE DIZ MUITO A REALIDADE

Um típico playboy de classe média alta, desses que se irritam quando são chamados de playboys. Cerca de 25 anos, robusto, mas inclinado a um "baseado", mora num condomínio de luxo da Barra da Tijuca, mas diz que mora numa casa modesta da Pavuna, bairro onde ele, na verdade, compra a sua "merenda". Membro de "honra" de comunidades como "Eu odeio acordar cedo" do Orkut, ele está revoltado até hoje pelo fim da fase "roqueira" da Rádio Cidade carioca. Pseudo-esquerdista, ele está para conhecer, do relato de seu pai - um advogado de pessoas abastadas, sejam criminosos passionais, políticos corruptos ou apenas celebridades - , que se dirige ao rapaz enquanto este envia um e-mail com vírus para um sujeito que entrou em discussão por texto com o playboy numa comunidade do Orkut.

- Filho, vou lhe falar um pouco mais de uma personalidade que você precisa conhecer, o Cabo Anselmo. Ele hoje vive recluso numa localidade do Piaui.

- Puxa, é mermo, véio? - diz o playboy, com uma dicção que mistura débil-mental com brutamontes - Caraca, me diz aê qual é a boa do Cabo Anselmo.

- Pois ele criou uma manifestação de sargentos para enganar o então presidente João Goulart. Filho, eu era ainda um estudante de direito, seu avô militava no IPES e eu tinha amigos no Comando de Caça aos Comunistas.

- Caraca!! É mermo, véio?

- Pois é. Cabo Anselmo seduziu os sargentos, que fizeram um protesto com algumas reivindicações, quebrando a hierarquia militar, e Jango prendeu mas soltou os caras. Aí veio uma crise que depois deu na ditadura militar. E Cabo Anselmo, que todo mundo imaginava ser de esquerda, revelou-se agente da CIA e denunciou seus antigos aliados do protesto para os órgãos de tortura e repressão.

- Puxa, cara!! O Cabo Anselmo é duca...

- Pois é, eu falei nele porque pensei em você. Você não está enganando demais as pessoas, se dizendo "esquerda-liberal" e se associando à comunidade do Che Guevara?

- Não, véio. Eu vou lá, faço que sou miguxo da esquerda, a galera passa a se amarrar em mim, e aê quando tiver manifestação da esquerda eu vou prum prédio e apedrejo uma vidraça, aê os tiras vão prender outro cara no meu lugar, porque fujo de fininho. É assim, véio, me faço de amigo da esquerda, o pessoal acredita em mim, depois eu estrago a esquerda lá dentro, como um vírus, sacou?

- Puxa, eu tinha mesmo que falar do Cabo Anselmo!! Você é igualzinho ao que ele foi há 45 anos!!

- Na moral, pai!! Vim aqui pra bombar mesmo, fazer zuêra, quem não concordar comigo leva encrenca, falô?

- Certo, filho. Você só precisa ser mais discreto, para você não se ferrar com a polícia. Tome aqui sua ajuda de custo para você ir para a boate do Leblon.

- Brigadão, paiê!! Você é déiz, na moral!!