terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Uma família "direita"


O patriarca (ou melhor, patriarcha, conforme a grafia da época) vivia feliz na República Velha.
O filho chorou a crise de 1929 e a Revolução de 1930.
O neto vibrou com o New Deal de Roosevelt e o triunfo neoliberal de Bretton-Woods.
O bisneto militou no IPES-IBAD, compareceu à Marcha Deus e Liberdade contra Jango e defendeu o golpe de 1964 e o AI-5.
O trineto atuou no Comando de Caça aos Comunistas e espancou universitários de esquerda na Rua Maria Antônia, em São Paulo.
O quadrineto defendeu a vitória de Fernando Collor na presidência e sonhava com um Brasil comandado por tecnocratas e uma cultura predominantemente brega.
O tataraneto, por sua vez, trabalhou como produtor numa rádio pseudo-roqueira e "presenteava" todos aqueles que discordavam de suas visões reacionárias com e-mails "amistosos" contendo vírus.
E o filho deste? Talvez milite como defensor de "sertanejos universitários"...

Nenhum comentário: