segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

João Pedro Stedile afirma que, com mais reforma agrária, o MST desaparece


Em entrevista ao jornalista da Folha de São Paulo, Kennedy Alencar, durante um programa da Rede TV!, o líder do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra), João Pedro Stedile, afirmou que o governo Lula deveria ter sido, desde o começo do mandato, mais ousado no programa de reforma agrária. Stedile acrescentou que os atos de vandalismo do MST são casos pontuais e que se a política fosse estimular a violência, "o país já teria pegado fogo".

Além disso, Stedile disse que, se a reforma agrária for feita, o MST desaparece.

Não é preciso dizer que a Folha de São Paulo engoliu seco as declarações, como alguém que não gostou de ouvir tais declarações.

Nossa postura não é sectária quanto ao MST. Acreditamos que existem sem-terra e "sem-terra", existem manifestantes rurais pacíficos e baderneiros oportunistas. E que existe também quem se enriqueça ou explore politicamente o movimento. Mas condenamos a campanha que, generalizando os aspectos negativos do MST, tentam desmoralizar até mesmo quem sinceramente luta por um pedaço de terra e contra a concentração de poder político e econômico dos grandes proprietários de terras do país.

Nenhum comentário: