sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Cantora anda obcecada com a fama


Não posso dizer o nome da cantora, porque seus fanáticos, tomados de furiosa cegueira e violento reacionarismo, podem não gostar. Mas não dá para evitar criticar suas atitudes, sobretudo a busca obsessiva pela fama, pelo sucesso.

Essa cantora, que apelidamos de Mulher Gigante pela sua megalomania, pela sua obsessão de se apropriar de tendências e eventos mais díspares - quem reclamou de Caetano Veloso falando de tudo e se apropriando de tudo, deveria dar graças a Deus, porque pelo menos o cantor possui informação e algum conhecimento de causa naquilo em que intervém - e pelo seu sucesso ao mesmo tempo dominante e desesperado, que busca uma aparente unanimidade.

Daí a fúria desses filhotes do Comando de Caça aos Comunistas (que, depois da queda do Muro de Berlim e do Leste Europeu, se converteu a Comando de Caça aos Conscientizados, virando "força jovem" vinculada direta ou indiretamente ao Partido da Imprensa Golpista - PiG), que preferem que sua "ídala" se superexponha o máximo possível do que cuidar para preservar eventualmente sua imagem.

Ela aqui aparece num espetáculo do clube gaúcho Internacional. O que ela foi fazer no evento, se ela não é gaúcha, não cabe aqui analisar. Mas, em nome da fama, ela sacrificou uma gravidez, se apresentando até o oitavo mês, quando a atividade dela, que envolve muito gasto de energia física e até mental, deveria tê-la dispensado das apresentações no quinto mês de gravidez.

Juntando isso à prematura volta aos palcos da cantora axezeira, com o filho tendo apenas dois meses de nascido, mostra que, além do pouco cuidado com a gravidez ou maternidade, tudo em nome da fama e do sucesso, ela também não tem senso algum de marketing pessoal.

Se tivesse, ela teria evitado de aparecer na mídia por mais dois meses, criando expectativa aos seus fãs para quando terminar a licença-maternidade, no quarto mês de vida de seu filho, o que significaria que a cantora, neste caso, iria voltar aos palcos a partir do próximo Carnaval. Seria uma campanha de mídia esperta e que renovaria a popularidade da cantora.

Mas ela, nem isso. Quer se superexpor a todo custo, em vez de economizar sua imagem pública por uns meses. Já basta que a cantora disse que não gosta de ler livros, e que ela não é necessariamente uma personalidade que mereça exercer toda a influência que exerce no grande público, e ela ainda se sacrifica em nome da fama e do cartaz.

Ela tem que tomar cuidado com as pressões do showbiz, e é bom também que seus fãs tenham uma atitude autocrítica, antes de cometerem a covardia de espinafrar este blog.

2 comentários:

Marcelo Delfino disse...

Alexandre, já estou de saco cheio desta sua autocensura. Vamos dar nomes aos bois. Ou melhor: às vacas. Mulher Gigante é Ivete Sangalo. Garota Gigantinha é Claudia Leitte. E assim por diante.

Não citar nomes é ser conivente com as vacas.

Lucas Rocha disse...

Se, em 2012, a cantora I.S. mudar de emprego, ela vai virar funcionária de lanchonete ou abrir uma rede de supermercados?