domingo, 22 de novembro de 2009

Parte de camarote desaba e fere 50 em show do Chiclete com Banana em SP


O "império romano" da axé-music, um dos ritmos da mediocridade musical brasileira, começa a ruir. Depois do cancelamento do Niterói Folia, mais um golpe desafia a arrogância imperialista dos axezeiros.

Aliás, os ídolos da axé-music tanto falavam em "sair do chão", o "palco vai tremer", "a casa vai cair"? Pois isso é que dá fazer metáfora com catástrofe. Deu no que deu.

Acidente ocorreu em São José dos Campos, a 91 km de São Paulo.
Causas do desabamento ainda estão sendo apuradas.

Do G1, em São Paulo

O Corpo de Bombeiros de São José dos Campos, a 91 km de São Paulo, informou na madrugada deste domingo (22) que cerca de 50 pessoas se feriram após o desabamento parcial de um camarote de estrutura metálica durante um show do grupo baiano Chiclete com Banana na cidade.

Os feridos foram levados para o pronto-socorro do Hospital Industrial e para o Hospital Clínica Sul e, segundo os bombeiros, não há registro de casos graves.

O acidente atingiu o camarote por volta de 0h45, durante o evento "São José Folia", a micareta promovida na Universidade do Vale do Paraíba (Univap), num circuito de rua projetado, segundo site da instituição, para apresentações de trios elétricos.

As causas do desabamento ainda estão sendo apuradas.

2 comentários:

O Kylocyclo disse...

Pode parecer muito cruel o meu comentário, mas não é. A arrogância da axé-music, que quer ser a dona da cultura brasileira, se apropriando de todos os redutos e tendências, autênticas ou não, chega ao ponto de não pensar na segurança dos foliões.

A obsessão da axé-music de conquistar na marra até o público universitário - lembra o quebra-quebra do show do Terra Samba, na UFF, em Niterói? - pega muito mal, e isso é uma lição para os arrogantes axézeiros que sentiam inveja, outrora, do mangue beat, por sua força artística genuína (que a axé-music não tem).

A axé-music queria entrar até no Sul do País (PR,SC,RS), sem pedir licença alguma, e se possível entraria na Galeria do Rock de São Paulo à força, botando uma estátua de uma das suas "divas". Por outro lado, barrava, em Salvador, outros tipos de tendências musicais, a não ser que estas sejam cooptadas pelo esquemão axezeiro.

Deixo aqui meu manifesto de pêsames a todos.

O Kylocyclo disse...

O que o "funk" do Rio de Janeiro espera acontecer daqui a cinco anos...