sábado, 7 de novembro de 2009

Mais uma voz contra a padronização visual dos ônibus cariocas


O amigo Leonardo Ivo escreveu, no blog Fatos Gerais, um texto muito interessante com base na nossa campanha contra a padronização visual dos ônibus cariocas. Ele já havia mandado uma mensagem de apoio no tópico original deste tema, e aí escreveu o texto que reproduziremos. O único problema foi o texto estar todo num único parágrafo, mas está tudo bem. A mensagem é excelente e a reprodução dela é a multiplicação deste protesto nas buscas da Internet. Editamos a distribuição dos parágrafos, para facilitar a leitura.

Sobre a possibilidade de padronização da frota de onibus do Rio

Por Leonardo Ivo

Segundo o site O Kilocyclo, o prefeito Eduardo Paes quer colocar aquele projeto horrendo de padronizar com uma cor só toda a frota de onibus da cidade do Rio de Janeiro repetindo o exemplo de São Paulo, Belo Horizonte, Brasilia, Aracaju e Curitiba.

Tal projeto será uma afronta aos cariocas como foi para os moradores das cidades citadas.Isso porque a pintura individual da frota de cada empresa facilita não só a identificação da linha como também da propria empresa e a qualidade do serviço que presta de forma agil e direta, além de embelezar as cidades onde operam. Com a unificação das pinturas não só isso vai ficar prejudicado como também criará meios de disciminação das pessoas que moram no suburbio ou na verdadeira Zona Oeste com as pessoas que moram na Zona Sul ou na Zona Leste(Barra e Jacarepaguá).


COM A PADRONIZAÇÃO VISUAL, ESSE BELO DESENHO DA AUTO VIAÇÃO BANGU, FEITO PELO PRESTIGIADO BATALHADOR, BUSÓLOGO ÁLVARO GONZALEZ (D), IRÁ DESAPARECER.

Quando falo em discriminação, falo isso,pois as pinturas irão identificar de que local a linha e a empresa é coisa que não acontece hoje ja que eles querem colocar as pinturas e acordo com a região, tamanho do onibus e tipo e serviço prestado, que falititará o preconceito, pois quem for de regiões mais abastadas irá olhar para onibus com pintura padronizada com o maior preconceito do mundo, pois facilitará a identificação onibus daquela região da qual hostilizam, no caso as mais pobres. Por exemplo se a linha for da Zona Sul ela será verde, se for da Zona Oeste ela será vermelha, se for micrão será cinza e por ai vai.

Vai ser péssimo e tudo isso por causa das olimpiadas. Dava perfeitamente para organizar o transporte por onibus sem fazer isso. Tudo isso para imitar péssimos exemplos de outras cidades onde o serviço por conta unificação de pinturas só prejudica o turista e o morador da cidade e vai ser piór ainda no Rio onde ha possibilidade maior de se pegar um onibus errado e parar num lugar violento. E olha que exaltei a variação de pinturas das empresas do Rio num texto anterior a pouco mais de dois meses citando como exemplo para o pais e dizendo que tal situação ainda persistia, dando a entender de que um dia pudesse acabar.

Torço sinceramente que a Rio Onibus se oponha a isso, ja que para ela isso vai gerar um custo muito alto em pintura das frotas de suas associadas, embora ela possa se beneficiar disso de forma excusa ja que para punir motoristas e suas associadas vai ficar bem mais dificil.

Espero também que tal aberração não passe na Câmara de Vereadores. Nos busólogos e moradores agradeceremos muito a estes dois entes se lutarem contra este projeto. Até porque foi por causa das pinturas que eu e dezenas de crianças, hoje adultos, se encantaram e se encantam ainda hoje com hobby da Busologia. E só!

Um comentário:

Leonardo Ivo disse...

Alexandre, Neste texto, eu não coloquei em parágrafos, pois escrevi na pressa logo assim que li a bomba que você publicou no KyloCyclo. E tem també que blogger não tem tabulação de paragrafos. ABS!