quinta-feira, 5 de novembro de 2009

DUDU PAES APRONTA MAIS UMA


DUDU PAES PROMOVE DESORDEM URBANA NO TRANSPORTE COLETIVO CARIOCA - O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, prepara mais um embuste administrativo, aprovando lei que padroniza o visual das empresas de ônibus municipais cariocas. A decisão foi feita de cima para baixo, sem a menor consulta à sociedade.

A idéia de padronização visual, nas comunidades sobre transporte carioca no Orkut, ganhou expressivo repúdio da MAIORIA dos busólogos associados. Busólogo é aquele admirador e conhecedor do transporte coletivo.

O projeto dará fim à tão prestigiada estética diferenciada das empresas de ônibus, substituindo-as por uma padronização de acordo com a natureza dos serviços do transporte coletivo, seja por zonas, seja por tipo de ônibus. É uma caricatura grosseira do que acontece em Curitiba.

Na prática, porém, a mais nova traquinagem de Dudu Paes, feita para turista ver em 2016, mistura a lamentável encampação de ônibus do governo Brizola com alguns princípios neoliberais de iniciativa privada. Ou seja, com a "curitibanização" do transporte carioca, o governo municipal faz controle político do transporte coletivo, como foi na encampação, com a diferença de que, no plano econômico, o empresariado carioca continua tomando as rédeas do processo.

A lei prevê 60 dias para que os tecnocratas - sim, tecnocratas!!!! - planejem o padrão visual dos ônibus cariocas, de forma que tudo pareça politicamente correto, sem o menor escrúpulo para confundir os passageiros.

A banalização da "curitibanização" do transporte coletivo no Brasil chega num momento em que o próprio sistema original, de Curitiba (PR), começa a dar sinais de desgaste (até Belo Horizonte superou a capital paranaense na organização desse sistema) e São Paulo se revelou um completo desastre com a padronização visual e com a formação de "consórcios", que na prática são oligarquias empresariais tuteladas pelo Estado (poder econômico + poder político). Não são poucas as reclamações contra aquele que era tido como "o maior sistema de ônibus da América Latina".

AÇÃO POPULAR - Quem se sentir lesado com essa iniciativa de padronização visual, que irá confundir com certeza absoluta os passageiros, pode mover uma ação popular contra a Prefeitura do Rio. A ação pode ser movida no Ministério Público do Rio de Janeiro ou mesmo no Ministério Pùblico Federal. Quem não puder pagar um advogado para o processo, pode recorrer a um Defensor, sendo possível obter informações neste mesmo órgão.

O projeto de padronização visual proposto por Eduardo Paes será nocivo para o sistema de ônibus carioca. Mera armação para turista ver, será um golpe até mesmo contra a autonomia das empresas de ônibus e contra os passageiros. Não trará benefícios concretos nem definitivos, sendo apenas um engodo para turista estrangeiro ver.

Mas como esse projeto é do interesse EXCLUSIVO dos tecnocratas, e que, para estes, passageiro não passa de carga humana do transporte coletivo, o raciocínio deles é que carga não fala. Vamos contrariar essa atitude dos tecnocratas do transporte coletivo.

2 comentários:

Marcelo Delfino disse...

Não votaram no homem, "suburbanos com muito orgulho"? Agora tomem bonito.

Não fui eu quem elegeu essa toupeira pmdbista. Muito menos o Alexandre, que não é eleitor na cidade.

Leonardo Ivo disse...

Fico extremante indignado com isso, pois isso vai se um transtorno ja que com essa unformização a chance uma empresa ser punida por mau serviço e de se pegar um onibus de uma linha errada é muito grande. A pintura indivudual das empresas não só embeleza as cidades onde operam como também facilitam na identificaçao das linhas, destinos etc. Vai se uma merda só. O que vai ter de gente pegando onibus errado e parando em local violento não tá no gibi.!