quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Zezé Di Camargo confunde nome de ministra


Definitivamente, quando Zezé di Camargo fala alguma besteira e alguém relata isso - pode ser eu, ou pode ser, por exemplo, Arnaldo Jabor - , esse relato está longe de vir de algum invejoso ou preconceituoso. Inveja, eu, de cantar feito gralha umas caricaturas de country e mariachi a pretexto de fazer "moda de viola"? Quem diz que eu sou invejoso é que sente inveja do meu senso crítico.

Pois Zezé di Camargo, numa entrevista, chamou a ministra e presidenciável Dilma Rousseff de Dilma Rosseti, mais de uma vez. Ele ainda não se lembrou do sobrenome facilimo da ex-ministra e ex-petista Marina Silva. Fora isso, ele defendeu o governo do presidente Lula - claro, o breganejo é o fisiologismo musical brasileiro - , mas o irmão Luciano logo entregou dizendo que Zezé é sempre governo, se o presidente fosse Fernando Henrique Cardoso o pai de Wanessa defenderia do mesmo jeito. A dupla, aliás, participou da farra breganeja para comemorar a vitória de Fernando Collor há vinte anos atrás.

Tudo isso que escrevi foi baseado numa nota no site Terra Diversão.

3 comentários:

Anônimo disse...

Esses cantores aí são o reflexo da mediocridade que são a maioria das pessoas famosas no Brasil.
A fama e a fortuna são injustas com a intelectualidade.

Edilson Trekking disse...

Essa dupla de breganejo é um exemplo do que acontece quando governos que se sucedem no poder não investem em educação.

Eu trabalho com o povo do campo, Alexandre. O analfabetismo no campo é preocupante.
E a moda agora no interior é mascar fumo e falar errado, ir na vaquejada (rodeio) , bailão, festa da violada bruta(violada no caso é viola não mulher) e mais viola univesitaria .

Marcelo Delfino disse...

Ué... O Zezé esqueceu do DVD pirata de 2 Filhos de Francisco no Aerolula?