quinta-feira, 3 de setembro de 2009

PROFESSORA BAIANA DÁ MÁS LIÇÕES


Lamentável. Uma professora baiana, de forma ostensiva, rebola ao som do mais horrendo "pagodão" de Salvador.

Você deve imaginar: "é professora de escola pública"? Nada contra as escolas públicas, no entanto, mas elas foram trucidadas por tantos anos de carlismo, pois o populismo de direita de Toninho Malvadeza, o verdadeiro pai da axé-music, dependia da burrice da população para se fazer prevalecer. Por isso, as escolas públicas são vítimas do sucateamento da Educação na Bahia.

Mas, para piorar as coisas, não foi uma professora de escola pública, mas de escola particular. Ela estava rebolando um pagodão, de um grupo obscuro, O Troco, de estilo similar ao do Psirico, e o vocalista levanta o vestido da moça, chamada Jaqueline, de 28 anos, para mostrar os glúteos e a tanga fio-dental dela.

Um "espetáculo" bem ao nível dos "áureos tempos" do É O Tchan. "Espetáculo" que deixou a professora confusa, quando apareceu no tenebroso programa Geraldo Brasil, da Rede Record. Ela disse que se arrependeu, depois disse que não se arrependeu, disse que nada havia de errado no que ela fez, mas depois disse que todo mundo erra (até ela). Ela teve que mudar de residência porque seus vizinhos, por gozação ou tara, cantavam a tal música do Troco.

Isso é um triste quadro de nosso país, com crise de valores, que ainda legitima a baixaria do "funk carioca" como "movimento cultural". O que mostra o quanto complexo é o quadro da Educação no Brasil, onde faltam especialistas do nível dos saudosos Anísio Teixeira, Paulo Freire e Darcy Ribeiro, gente que pensava pelo país, gente que tinha um programa educacional que não se limitasse à simples instrução geral nem à mera formação técnica e profissional.

E ainda há idiotas que acham que "funk carioca" e futebol substituem a Educação. Quanto absurdo existe neste país.

Um comentário:

SABADO ALTERNATIVO - COMPFETS disse...

Eu moro próximo a uma faculdade particular e o que rola nas festas de professor é só funk, breganejo, pagodão universitário e outros ritmos de péssima qualidade. No meio de toda essa poluição sonora o Dj colocou um rock que foi prontamente vaiado pelos orelhudos(no caso professores e alunos universitários) . Esse comentário é prá reforçar o que você escreveu.O que tem professor burro nesse país é uma grandeza!

Esse país só pode ser piada no exterior