sexta-feira, 18 de setembro de 2009

CASOS DE CEGUEIRA E RAIVA SÃO CURADOS


Esta semana teve dois casos de cura em doenças incuráveis. O que mostra que a ciência deveria ter mais apoio das autoridades do mundo inteiro, diante de tantos atos de coragem e de verdadeira generosidade humana por parte dos cientistas, que não poupam esforços para buscar a cura de doenças diversas e preocupantes.

Um caso aconteceu nos EUA, em Miami, Flórida, quando o cirurgião-oftalmologista Victor Perez, observando a cegueira da paciente Sharon Kay Thornton, portadora do mal de Steven e Johnson, um problema grave na córnea que, no olho, funciona como a lente em uma câmera. Ela estava cega há nove anos.

Depois de tratamentos e até um transplante, Perez, pesquisando estudos realizados por cientistas italianos nos anos 60, decidiu extrair um dente da paciente e colocar nele uma lente de plástico. Em seguida, colocou o dente no olho da paciente. A primeira impressão de Sharon Kay foi de espanto ao ver o marido dela grisalho.

Outro caso foi em Recife, Pernambuco. O jovem Marciano Menezes da Silva, de 16 anos, portador de raiva humana, contraída pela mordida de um morcego, em Floresta, no interior pernambucano. A raiva, que pode ser transmitida também por cães e gatos, é uma doença considerada incurável e mortal, com índices de óbito de praticamente 100%.

O médico Gustavo Trindade decidiu usar um método criado nos Estados Unidos e que realizou a cura de uma adolescente de 14 anos, que, com Marciano, são duas das três pessoas que sobreviveram à doença. Foi adotado um suporte de UTI reservado a todo paciente grave com lesão neurológica, depois Marciano foi profundamente sedado, em seguida ele foi deixado em coma induzido durante um mês e finalmente foi dado um remédio contra o vírus da raiva.

Marciano ficou com sequelas, como a limitação em alguns movimentos, como a capacidade de andar. Mesmo assim, a cura foi considerada uma grande vitória, e em breve Marciano se submetará a uma cirurgia ortopédica no mesmo hospital Osvaldo Cruz.

Nenhum comentário: