sexta-feira, 21 de agosto de 2009

CRISE DO PT SE AGRAVA


Não é de hoje que o Partido dos Trabalhadores está em crise. Quem entende de política, e não precisa ser cientista político para isso, sabe muito bem que não é de hoje, nem de cinco ou dez anos atrás, mas também há mais de 20, que o Partido dos Trabalhadores vive sua crise. Essa crise apenas aumentou nos últimos anos, quando a mais nova dissidente é a líder ambiental e ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, que participou do grupo fundador do PT, em 1980.

Muita gente tornou-se dissidente do PT, anos atrás. Partidos como o PCO, PSTU e PSOL são dissidências do PT. Vários políticos também tiveram iniciativas isoladas, saindo do partido para ir a outros. Desde 1989 o PT aderiu ao pragmatismo eleitoreiro, mas ainda mantinha algumas propostas interessantes de âmbito social. Mas, ao conquistar o Planalto, em 2002, o PT tornou-se prisioneiro das forças "fisiológicas" das quais o partido optou, equivocadamente, em recorrer para conseguir a tão sonhada vitória nas urnas.

Resultado: nos últimos anos, o presidente Lula preferiu socorrer ou apoiar políticos envolvidos em corrupção, cmo Renan Calheiros, José Sarney e Fernando Collor, antes seu enérgico rival da campanha de 1989. Só esse apoio derrubou o governo, fazendo a alegria dos políticos tucanos, que estão mais otimistas quanto à volta ao Planalto em 2011.

O PT sempre se definiu como um partido socialista moderado. Mas não imaginava-se, nos primeiros anos do PT, que o partido sucumbiria a uma indefinição ideológica, costurando projetos de âmbito social com alguns métodos neoliberais, se transformando depois num "satélite" do PMDB, único partido remanescente dos tempos da ditadura militar e que vendeu sua imagem de "libertário", apostando logo depois numa indefinição ideológica até pior do que a do PT. O que não inocenta o Partido dos Trabalhadores, até porque seu apoio ao PMDB só faz complicar a situação dos petistas.

Com a crise do Senado Federal manchando seriamente a imagem pública do Legislativo, poder que está cada vez mais desacreditado pela população, surgem no entanto pseudo-esquerdistas jovens, que, pretensamente "rebeldes" e "libertários", exibindo, hipócritas, suas camisetas de Che Guevara (que, no fundo, eles agradecem a Deus pela morte do guerrilheiro), no entanto defendem soluções claramente golpistas.

Me lembro de tantos "rebeldes" nos anos 80, querendo o fechamento do Congresso Nacional como solução para acabar a corrupção política no país. Grande erro. Defender esse fechamento é defender o golpe, conversa igual já levou o Brasil à ditadura e à morte de milhares de cidadãos inocentes por culpa da repressão.

O problema não está no Legislativo como instituição, que, em si, é perfeita. O problema está nos homens que atuam no Legislativo, completamente incompetentes, na medida em que aceitam e defendem o ganho de salários astronômicos (dinheiro que soa tão supérfluo para eles quanto a fortuna do Uncle Scrooge, o nosso Tio Patinhas dos desenhos de Walt Disney), em detrimento do interesse público, principalmente quando uma maioria de pessoas mal chega a ganhar dois salários mínimos, e há quem ganhe menos que um salário mínimo.

Temos, por isso, que tomar cuidado também com essas raposas novas que, com um discurso "rebelde" envolvente, pregam delirantemente que o Brasil está perdido - não esses jovens, que são filhos de papais ricos, têm todo o luxo em suas mãos, até entrega de "baseado" a domicílio, e consomem todo o establshment da grande mídia, da trilogia pancadão-axé-breganejo às rádios pseudo-roqueiras de plantão - , e por isso o Legislativo "tem que ser extinto". Conversa semelhante o Cabo Anselmo, mestre em potencial dos "miguxos" do mal que surgem que nem praga de insetos no Orkut, adotou em 1964.

Aliás são esses mesmos jovens que, na época das campanhas eleitorais, tão "democraticamente" defendem a vitória nas urnas dos mesmos corruptos que eles dizem odiar, alegando na ocasião necessidades "pragmáticas" baseadas no mito do "rouba, mas faz". E são esses jovens que se orgulham em dizer que odeiam hipocrisia, pasmem todos vocês.

É num país desses que projetos como o PT entram na mais grave crise, na mais pura agonia.

Nenhum comentário: