quarta-feira, 1 de julho de 2009

SOLTEIRA QUE CURTE "FUNK" É COMO MENINA MALCRIADA


Das jovens solteiras que curtem a Música de Cabresto Brasileira, as adeptas do "funk carioca" são as que mais problemáticas. Arrogantes ao extremo, elas parece que menos se importam com questão de afinidades pessoais e só querem namorar para atingir vantagens materiais e até mesmo fúteis.

Aliás, o universo do "funk carioca" é totalmente fútil. As funkeiras não são exceção à regra, muito pelo contrário, são a regra na sua forma mais típica.

No Orkut, vamos que as garotas que curtem breganejo - a dita "música sertaneja" - são as mais ingênuas, tolas e piegas, e que as que curtem sambrega - o samba pasteurizado de cunho brega-romântico - , embora menos tolas, são tão piegas e com ar mais "convencido". E há as que curtem forró-brega, que podem estar também dentro dos outros dois tipos citados neste parágrafo.

Mas nenhuma delas é tão arrogante quanto as fãs de "funk carioca".

Estas parece que não querem se envolver com homens que expressam afinidade com elas. Jogadores de futebol, pitboys, gangues de funkeiros, policiais militares, pagodeiros e lutadores de jiu-jitsu do subúrbio, quando elas namoram esses homens parece que o namoro se dissolve à menor divergência.

É só um jogador de futebol, por exemplo, falar com uma namorada funkeira que tem uma filha de uma relação anterior para a relação terminar sem qualquer tipo de diálogo. Em divergências bem mais sérias, mulheres classudas normalmente evitam se divorciarem de seus maridos empresários ou profissionais liberais.

Isso é porque a funkeira é, além de arrogante, impulsiva. É egocêntrica, narcisista, interesseira, brigona, temperamental. Não quer namorar homens de sua afinidade porque eles são tão impulsivos quanto elas.

Mas, quando uma funkeira cisma com algum homem de perfil diferenciado, sobretudo mais dócil, dos alternativos aos nerds, é bom estes homens tomarem cuidado: namorar funkeira é encrenca na certa.

Não adianta aparecer orkuteiro com conversa de faquir dizer coisas do tipo "eu sou nerd, namoro funkeira e sou feliz" porque ou ele está mentindo quanto ao namoro, ou simplesmente é um falso nerd. Assim como apareceram na TV muitos emos enrustidos que se diziam "roqueiros verdadeiros" que "eram felizes" namorando funkeiras ou pagodeiras. Isso é porque esses boyzinhos não passam de mauricinhos mimados que pensam que Guns N'Roses e Bon Jovi são classic rock.

Namorar funkeira é um pesadelo, para homens que não são durões nem machistas. Funkeira é mandona, autoritária, falsa, pode ser infiel se achar que deve e ainda por cima é metida. A funkeira pode parecer dócil com um namorado nerd, mas quando ela está com as amigas vai falar horrores dele.

Um exemplo disso tudo. De repente, uma funkeira fala mal do namorado nerd com as amigas. "Ele parece um mariquinhas mimado. Sabe o que ele foi ver na televisão? 101 Dálmatas!!". "Ninguém merece", diz a outra amiga, também funkeira. "Ele ainda come Nescau às colheradas", emenda uma terceira, e todas as garotas caem na gargalhada. Depois, a funkeira com namorado nerd, sempre afeita a uma mentira, diz que "respeita e ama muito" seu namorado. Mentira.

A funkeira só quer conquistar vantagens pessoais. Se pega um nerd, um universitário, um beatnik ou um fã de jazz, é para aparecer e tirar onda em certos ambientes frequentados por esses rapazes. Mas, arrogante e temperamental, a funkeira não tem o menor receio, nem mesmo o mais ínfimo escrúpulo, em espinafrar o namorado no papo com as amigas. Espinafrar mesmo, ridicularizando o cara, coisas que se o próprio namorado soubesse, ele não só romperia o namoro como poderia processar a funkeira por danos morais.

Por isso mesmo, namorar mulher que curte brega-popularesco é sempre um problema. Namorar uma mulher que curte "funk" é mais que isso, é sempre um monte de problemas.

Nenhum comentário: