segunda-feira, 13 de julho de 2009

MULHERES QUE CURTEM BREGA SÃO NA MAIORIA "ENROLADAS"



"Estou carente. Preciso de um homem".

"É um absurdo! Cadê os homens que vocês dizem que estão a fim de mim?".

"Não consigo arrumar um namorado há mais de dois meses".

"Os homens fogem das mulheres, correm de medo".

São "refrões" acima que mulheres solteiras que curtem o som brega-popularesco - a Música de Cabresto Brasileira como a axé-music, o sambrega, o breganejo e o "funk" - falam dos homens, dando a falsa impressão de que elas são solteiras irremediáveis e estão à procura de um homem legal para namorado ou marido de cada uma delas.

Elas estão realmente solteiríssimas, não é mesmo?

ERRADO. Elas estão, na verdade, é ENROLADAS.

Estar "enrolada" é uma moça que terminou um namoro não de forma definitiva, mas pode tanto voltar ao último namorado como pode arrumar outro. Mas, em todo caso, a solteirice é algo que não é firme nem definitivo.

Em outras palavras solteiras desse tipo, em sua maioria, terminaram uma relação de namoro há um tempo, mas ainda que não haja, aparentemente, uma chance de volta, ela está sempre em stand by, ou então há no caminho outros pretendentes, da afinidade delas. Portanto, quem imagina que nerds solitários estão no caminho delas está enganado.

São os mesmos peões, funkeiros, pit-boys, empresários, fazendeiros, pagodeiros e jogadores de futebol que estão atrás dessas moças solteiras. E por que elas não desencalham? Por que existe alguma força oculta que as condena ao celibato eterno?

Nada disso. O que faz elas ficarem "encalhadas" é simplesmente o fato delas estarem bitoladas consigo mesmas, presas ao passatempo viciado do Orkut, ou aos mesmos passeios com suas amigas.

Não é difícil notar que, quando essas garotas vão, por exemplo, a um evento de festa junina, desses cujas atrações principais variam entre um Alexandre Pires, um Chiclete Com Banana e um Bruno & Marrone, elas são constantemente paqueradas por rapazes até com alguma pinta de galã ou de rapagão sarado (se não necessariamente galântico). Mas elas mesmas correm da raia, por puro medo de saírem de suas vidas ainda infantis.

Por isso elas preferem brincar no Orkut a todo momento e ficar mandando mensagens de amor para nerds que só usam o Orkut para coisas mais úteis (como, por exemplo, verificar comunidades de concursos públicos e sobre cinema alternativo), e eles não ficam nesse portal social o tempo todo.

As mulheres que curtem popularesco ou que são associadas a eles - como as dançarinas de pagode ou "funk" - , ultimamente, andam decepcionando porque sonham alto demais na vida amorosa, e isso não é porque elas desejam namorar empresários ou jogadores de futebol, mas porque sonham com nerds que odeiam o universo que elas integram ou apreciam. Mal sabem elas que poderão deixar de ouvir seu Exaltasamba e Bruno & Marrone pelo resto da vida e passar a ouvir a toda hora o Wall Of Voodoo, Killing Joke, Devo, Smiths e até mesmo o heavy metal e o punk rock que elas não aguentariam ouvir.

Com o serviço de utilidade pública de O Kylocyclo dizendo para essas moças procurarem homens da afinidade delas - é mais realista que elas se casem com homens do mesmo perfil de um Daniel, de um Leonardo, Alexandre Pires ou até Fábio Jr. - , nós procuramos prevenir essas moças de viver uma vida infeliz, porque, passado o gosto da primeira aventura, virão as pressões e conflitos que nem as moças mais arrogantes e malcriadas - como, por exemplo, as funkeiras - poderão evitar.

Por isso, pedimos para essas mulheres que curtem brega e neo-brega: deixem nerds e outros homens diferenciados em paz, fujam um pouco do Orkut e não vão para festas e noitadas só para comer bolo de fuba ou tomar licor de jenipapo. Se houver homens do tipo estético do Zezé Di Camargo ou Alexandre Pires assediarem essas moças, que essas moças não tenham medo e aceitem os pedidos de namoro deles.

Para elas, tem que valer o seguinte princípio: melhor um conhecido afim do que um desconhecido estranho. Não se troca afinidade por aventura, na vida amorosa.

Nenhum comentário: