sexta-feira, 17 de julho de 2009

Michael Jackson e Galeria do Rock: Em 1985 a história seria outra



Vamos citar um hipotético caso ambientado em 1985, que certamente poderia ter ocorrido realmente naquela época, sobre a possibilidade de colocar uma estátua de Michael Jackson na Galeria do Rock, em São Paulo.

Digamos que um adolescente menos informado das coisas, ao entrar na Galeria do Rock, de São Paulo, encontre algum diretor do prédio para fazer o seu pedido de fã do cantor Michael Jackson:

Diz o adolescente, de forma tímida, a esse diretor:

- O senhor... o senhor poderia me fazer um favor?

- Sim, o que você quer?

- Eu quero fazer um pedido, mas é meio embaraçoso fazer esse pedido, não é?

- Faz o pedido então, ora!

- Queria que você colocasse uma estátua em homenagem ao meu ídolo, Michael Jackson. Sabe como é, aquela música "Beat it", tem a participação do Eddie Van Halen, um guitarrista bem popular entre a "galera" do rock'n'roll, sabe?

- Humm.

- Dá para você colocar uma estatua do Michael aí?

O diretor fica pensativo, mas depois dá logo uma risada. Então ele diz:

- Garoto, em que planeta você vive? Não é por mal, não, mas não vamos botar, de jeito nenhum, uma estátua ligada ao mega-astro da música pop. Além disso, no conjunto da obra Michael Jackson não é um nome do rock, ele está associado a um tipo de música que é incompatível com o estado de espírito de nossa Galeria.

- Não entendi. - disse o garoto.

- Olha, Michael Jackson é igual aqueles artistas que, apesar de incluírem algum elemento de rock no seu som, não são por isso mesmo roqueiros. Se a gente colocar fulano ou sicrano como estátua na Galeria do Rock só por causa de uma guitarra elétrica aqui e ali, por um visual tresloucado ou currículo de escândalos, vai virar uma bagunça. Daqui a pouco vamos botar até estátua do Padre Zezinho.

- Ah, agora entendi. - disse o garoto, a princípio desapontado, mas depois conformado com a situação.

Mas hoje em dia, quando o senso crítico está fora de moda, vemos a atual administração da Galeria do Rock colocar uma estátua do Michael Jackson por motivos sem importância. Seria mais adequado que a estátua fosse colocada no Shopping Eldorado. Ainda há tempo para transferir a estátua para lá.

2 comentários:

Marcelo Pereira disse...

Pior que essa mania doente de chamar Michael Jackson de roqueiro parece não ter fim. É um total desconhecimento musical caracterizado por confusão entre osg~eneros musicais, rotulação com base no visual ou no comportamento e a medição da qualidade musical usando as vendagens e as paradas de sucesso como critério.

Em resumo, é muita gente que não entende de música e finge entender e quer colocar em Jackson uma importância muito superior ao que ele realmente teve como hit-maker. Quiseram até colocá-lo acima de Dylan, Hendrix e até os Beatles.

Espero que esse culto a Wacko Jacko acabe e que o tempo possa apagá-lo para que o entretenimento fique em seu lugar devido: os fugazes momentos nas festinhas de boates bares e afins.

Alexandre disse...

O problema maior não é chamar Michael Jackson de rockeiro, mas não reconhecer o rock como musica pop, também.

E o pior de tudo mesmo é se preocupar muito mais com o rótulo "rockeiro" do que com um tipo de qualidade musical muito mais essencial.

Além da "fugacidade" do barzinhos e boates, por trás de toda a produção de Michael Jackson tem um conjunto de produtores, de músicos, de artistas que fizeram parte de um movimento muito mais complexo do que muitos "rockeiros" podem admitir dentro da prepotência muitas vezes característica desse grupo.
Quincy Jones, instrumentistas da Motown e tudo mais, não podem ser subestimados. São, por exemplo, bem mais "complexos" que muitos movimentos do rock......Pq rebeldia adolescente e três acordes não convencem muito além do fator da "atitude"!!