quinta-feira, 16 de julho de 2009

JOÃO BOSCO - O AUTÊNTICO, DA MPB TAMBÉM AUTÊNTICA, LANÇA NOVO DISCO



Essa é para um almofadinha que mandou um comentário para O Kylocyclo falando que as músicas da dupla breganeja "João Bosco & Vinícius" são "maravilhosas". Esse rapazinho deveria ficar ouvindo os discos da dupla ao invés de ficar patrulhando quem não gosta dela. Vá mandar tais mensagens para o Fausto Silva e para de nos amolar!! Vale lembrar que a mensagem dele teve sua publicação vetada.

Espera-se que o João Bosco, o autêntico, não dependa de trilhas de sonora de novelas da Rede Globo para divulgar seu trabalho. Embora eu não seja um grande fã do cantor, apoio o seu trabalho e fico triste ao vê-lo ofuscado por um homônimo que integra a tal dupla breganeja.

A volta de Bosco com Blanc
Parceria histórica é retomada em refinado álbum de inéditas de tonalidade cool, calcada no violão
João Bosco canta versos de seu filho no samba "Tanto Faz"

Mauro Ferreira - revista Isto É Gente - 20 de julho de 2009

FORAM SETE ANOS sem um álbum de inéditas de João Bosco, mas a espera valeu a pena. Não Vou pro Céu, mas Já Não Vivo no Chão nasce histórico pelo fato de sacramentar a retomada da parceria de Bosco com Aldir Blanc, iniciada nos anos 70 e desativada nos anos 80 por desentendimento de caráter pessoal. Retomada em 2006, com a composição do samba que dá título ao humorístico televisivo Toma Lá, Dá Cá, a dupla volta em grande forma em quatro das 13 músicas do álbum. Um dos destaques é o samba "Sonho de Caramujo".

A ausência do tema maroto de Toma Lá, Dá Cá no repertório é justificada. Calcado nos violões tocados por Bosco e por Ricardo Silveira, o disco ostenta refinada atmosfera cool pela qual foram filtrados sambas como "Navalha" e "Tanto Faz", parceria de Bosco com seu filho, o poeta Francisco Bosco.

Aliás, os versos dos demais parceiros - Francisco Bosco, Nei Lopes e Carlos Rennó - exibem o mesmo alto nível das letras de Blanc. Entre canção que celebra Dorival Caymmi ("Desnortes", com vocais em falsete de Bosco) e samba-canção que cita Tito Madi ("Mentiras de Verdade"), o disco se revela sedutor em sua economia. É como se Bosco reverenciasse outro João, Gilberto, mestre do essencial.

2 comentários:

Lucas Rocha disse...

Se a dupla João Bosco & Vinícius gravasse um dueto com a Mulher Filé cantando "Bijuterias" (música do João Bosco original que foi tema de abertura da novela "O Astro", de 1977), será que esse encontro daria um gravíssimo incidente vocal?

Edilson Trekking disse...

Esse almofadinha deve ser da turma do sertanejo universitário(universotários). Eu vou ajudar a combater esses popularesco até o fim da minha vida!Sou contra tudo que aliena e escraviza o povo!
"Meus irmão ou mãe são aqueles que tem o mesmo ideal que o meu"