quarta-feira, 3 de junho de 2009

REVISTA PIAUÍ NÃO É MÍDIA DE ESQUERDA


Por mais que se esforce em parecer uma Caros Amigos mais "cultural", a revista Piauí não pode ser considerada mídia de esquerda, apesar de um leitor já ter definido a revista dessa forma, numa missiva serelepe e deslumbrada.

Vendo a revista Piauí, posso garantir que a revista, por seus textos sobre o marxismo e derivados, parece ver o esquerdismo de binóculo, sempre à distância. Certamente não tem a veia direitista de Veja, mas como a maioria das pessoas que consomem a mídia gordinha veem as coisas como se estivessem à esquerda de onde elas realmente estão, Piauí é festejada como se fosse "mídia de esquerda". Como certos tolos já festejaram, de forma semelhante, em relação à TV Bandeirantes, Band News FM e até a Rádio Metrópole FM de Salvador e, pasmem, a Rede CBN, cada vez mais direitista.

Piauí é uma filha bastarda do caderno Ilustrada, da Folha de São Paulo, de uma inseminação artificial com o esperma da fase decadente do jornal Pasquim. Seus colaboradores possuem variado leque de visão e ideologia, mas a equipe editorial, em si, parece se inclinar à centro-direita, devido a pelo menos dois notáveis episódios:

1 - Segundo alertou a revista Carta Capital (mídia de centro-esquerda), a Piauí fez uma reportagem que subentendia algum sentimento de pena com o banqueiro Daniel Dantas, alvo de escandalosas denúncias.

2 - A Piauí fez uma reportagem entusiasmada com ACM Neto, o neto do homem.

Enquanto isso, a Piauí fala de comunismo, marxismo, socialismo etc. com muita frequência, mas sempre de binóculo, olhando de longe, como se todos esses temas não fossem da natureza ideológica da revista.

3 comentários:

Marco disse...

Colega, você me desculpe mas não é citando uma matéria com ACM Neto ou qualquer outro tema vai configurar que a revista não é esquerdista. Como seu texto bem salienta, e conheço a revista de longa data, ela sempre foca em temas relacionado a esquerda, entrevista autores marxistas, fala da China, de Dilma, PT e tantas outras coisas mas quando se trata de Regime Militar trata de maneira jocosa. Não lembro de nenhuma matéria da Piaui que falasse de básicos teóricos da Direita com o mesmo destaque se é que alguma vez citou mesmo que brevemente. O viés esquerdista é evidênte e indissoluvel e poderia pegar todas as edições e jogar centenas de exemplos em cada uma delas. Como isso é muito trabalhoso, refuto apenas que a esquerda trabalha assim mesmo: Ela coloca "armadilhas" como alguns textos para parecer imparcial e muita gente acredita.

A. F. disse...

Não, Marco, não é porque a revista fale de Dilma ou coisa parecida que ela seja necessariamente de esquerda. Ela é tão "esquerdista" que a TV Bandeirantes, Isto É e outros veículos concorrenciais da mídia direitista propriamente dita (Globo, Veja, Estadão). Além disso, o próprio Estadão tutela a revista Piauí na Internet.

Eu até acho que o "esquerdismo" da Piauí é que serve de "armadilha" para todo mundo pensar que a revista é de "vanguarda".

A. F. disse...

Se fosse pelo seu raciocínio, Marco, até a Folha de São Paulo seria uma revista de "esquerda", só pelo aparente esquerdismo do caderno Mais!, hoje extinto.

Em tempo: o próprio Otávio Frias Filho já escreveu artigos para a Piauí.