quinta-feira, 25 de junho de 2009

POSER METAL


Francamente, nos meus tempos de adolescência, lá nos anos 80, o poser metal era ridicularizado pelos entendidos de rock. Era considerado música de maricas, de patricinha alucinada, era quase que um Menudo convertido para o rock pesado. Coisa ridícula, com seus integrantes cheios de tatuagens, maquiagens, entre a rebeldia sem causa e a pieguice, cheios de pose, com suas boazudas no currículo amoroso e suas encrencas que só serviam para vender a imprensa sensacionalista.

De repente, dos anos 90 para cá, o poser metal, conhecido aqui como "metal farofa", passou a ser visto como "respeitável". De repente, veio aquele papo furado de "rock de verdade", semelhante ao papo furado do "samba de verdade" de gente como Alexandre Pires, Exaltasamba e Belo, ou de "cidadania de verdade" do pessoal corrompido do Senado Federal.

Hoje as revistas dedicadas ao heavy metal e os programas de TV e rádio dedicados ao rock pesado são obrigados a atender a criançada malcriada e sempre colocam algum poser no cardápio. Mesmo o podado Bon Jovi, que na verdade é uma das matrizes sonoras de Zezé Di Camargo & Luciano (a outra matriz da dupla goiana, sabemos, é Waldick Soriano), hoje soando como um grupo de "metalnejo". Mas a mídia gorda musical está tranquila, qualquer pecado que Jon Bon Jovi e companhia cometerem fica na conta do Bryan Adams e, se bobear, do Ryan Adams (com o risco da Mandy Moore também arcar com as contas "penduradas" dos posers).

A culpa dessa respeitabilidade são a intromissão das rádios comerciais no rock e na atitude chapa-branca que os críticos musicais passaram a ter com o irrit-pareide, talvez visando alguma posição mais nobre na imprensa musical brasileira, nem que seja para editar programa de TV, ter blog patrocinado por um grande jornal, fundar uma revista etc..

Por isso é que estranhamente vemos os ridículos posers sendo vistos como "gente de qualidade" e até um site, enumerando alguns discos de rock conforme um critério, disse que o Mötley Crüe fazia discos "de qualidade". Fala sério!!

GUNS N'ROSES NÃO PASSA DE XEROX DO LED ZEPPELIN

Mas o maior símbolo desta postura toda é o Guns N'Roses. Ficou mais chato do que discurso prolixo tratar a banda do Axl Rose como se fosse "clássico do rock", parecendo que o grupo que mal tem uns 25 anos de estrada é mais antigo que o Led Zeppelin.

Aliás o Guns N'Roses nunca foi mais do que o xerox do Led Zeppelin. Ninguém percebeu isso. O "boyzinho" via o grupo lançando álbuns quádruplos e ficava babando. Via o grupo demorando para lançar novo disco, ficava babando. E os críticos chapa-branca nem aí. Eles bajulam Axl Rose em tudo, escrevendo mil maravilhas sobre a banda, afinal eles têm que vender o peixe e, na vida íntima deles, não é o GN'R que eles ouvem no seu personal CD player, mas aquelas bandas desconhecidas que ninguém, exceto os críticos, conhece.

No tópico acima tem duas coisas risíveis de tão constrangedoras sobre o Guns N'Roses.

Nenhum comentário: