quinta-feira, 11 de junho de 2009

A FM COM ROUPAGEM DE AM E O ANUNCIANTE



Um anunciante se reúne com o coordenador de uma FM que passa programação tipo rádio AM. O anunciante parece muito furioso, porque foi informado por profissionais da produção da rádio que a emissora está em 16º lugar de um total de 30 FMs. O coordenador está situado à sua mesa no escritório, mas está em pé para explicar a situação de sua rádio.

- São mais de dois meses em baixa audiência. Como é que eu vou veicular meu produto? Assim minha empresa vai para a falência. Você não sabe o quanto sacrifico para investir em publicidade, não sabe?

- Calma, calma. - diz o coordenador. - Você não entendeu a nossa filosofia. Como nossa rádio investe em prestação de serviço e informação, o que importa para nós não é o ouvinte, é o cidadão.

- Balela. Isso é desculpa para vocês continuarem na mesma com baixa audiência. Até transmissão esportiva fica com o Ibope no vermelho. Um amigo meu que trabalha numa loja de material esportivo já nem investe mais em rádio.

- Mas nossa audiência não é baixa, ela está dentro dos níveis esperados para uma FM que está começando.

- Começando? Vocês estão há quase cinco anos no ar!! E você acha que ficar entre 16º e 20º lugares está dentro dos níveis esperados?

- Calma. Mas nossa rádio tem mais audiência que você imagina. Mais ouvintes sintonizam um só aparelho e os ouvintes variam de um horário para outro. - tenta argumentar o coordenador.

Mas o anunciante não consegue se acalmar.

- Não interessa. Não sei se o rádio da portaria é ouvido por dois, três ou quatro pessoas. Isso não vai aliviar minhas contas de forma alguma. Vai dizer pros meus credores que de vinte aparelhos de rádio centenas ou milhares de pessoas estão ouvindo. Isso não faz diferença alguma nas minhas contas. E também não vou ganhar mais dinheiro se meus consumidores usam meu produto de manhã ou de tarde. Para mim, não tem diferença entre os 3 mil ouvintes de manhã e os 3 mil ouvintes de tarde. Dinheiro mexe com quantidade.

- Mas nós mexemos com qualidade.

- Ora, tenha santa paciência. Daqui a pouco, vocês vão dizer que até os extraterrestres sintonizam sua FM no disco voador e vão querer que eu anuncie meu produto pensando nesta demanda. Nada disso. Eu desisto.

O coordenador se assusta, algo impensado até em quedas de audiência, mas inevitável quando anunciantes ameaçam deixar de investir numa rádio FM Aemizada. Afinal, nessas rádios sofrem da síndrome do Super-Homem, aguentam qualquer parada, mas fuga de anunciante é sua kriptonita, sempre há um ponto fraco.

- Não, meu caro (anunciante). Não nos deixe. Invista na minha rádio. Farei promoções para você investir no intervalo com menos custo. Lembre das campanhas de cidadania que fizemos no mês passado.

- Aquela campanha "pedestre, atenção nas ruas"? Aquilo é obrigação de vocês, não é excepcional. Vou embora. Nos tempos em que o rádio AM era forte, eu poderia até investir mais. Mas hoje, com essa concentração de poder das rádios FM, apertando o mercado, eu não vou perder muito tempo com isso. Prefiro investir em Internet. Tchau.

O coordenador senta à sua mesa, com as mãos cobrindo a testa, transtornado.

Nenhum comentário: