domingo, 31 de maio de 2009

QUAL SERÁ A PRÓXIMA MÍDIA REACIONÁRIA?


Folha de São Paulo "vejou", elogiando a dupla funkeira MC Tucano e MC Democratas e falando em "ditabranda militar". A CBN "vejou", elogiando o neoliberalismo norte-americano, em detrimento até do liberalismo europeu, e andou fazendo mil pequenos serviços em prol da grã-direita brasileira, até bem mais do que o periódico da Editora Abril.

Agora, qual será o próximo veículo da mídia fofinha a se tornar reacionário? Qual deles?

Alguns candidatos ao próximo surto vejista:

GRUPO BANDEIRANTES - Embora a intelectualidade de "centro-esquerda" endeuse o complexo midiático da Bandeirantes (TV e rádio), ela aprontou das suas. Em 18 de abril de 2008, o Jornal da Band veiculou um editorial contra o Movimento dos Sem-Terra, algo que a Caros Amigos não enxergou quando tentou publicar anúncios da Rede Band News FM. A própria Band News, quando foi implantada em Curitiba, em 2005, em primeira hora correu para entrevistar o político conservador Álvaro Dias, do PSDB. No plano musical, a Bandeirantes apoia o mesmo breganejo (Zezé di Camargo & Luciano, Bruno & Marrone etc.) e o mesmo sambrega (Exaltasamba, Alexandre Pires etc.) que a "vênus" da mídia gorda, as Organizações Globo.

REDE BRASIL SUL - Ela é mídia reacionária em caráter regional (leia-se a minha querida região Sul de onde nasci, há 38 anos), mas um desavisado redator de um site sobre rádio, em matéria provavelmente paga, tentou exaltar a clone em FM da Rádio Gaúcha AM como se ela fizesse sucesso antes da hora, aquela velha mania dos defensoras da Aemização das FMs de dizerem que uma nova programação já é sucesso antes de entrar no ar. Provavelmente esse redator pensava que a RBS, dona da Rádio Gaúcha, pudesse ser apelidada de "Rede Bolivariana Socialista", mas a RBS é famosa por ter apoiado entusiasmadamente a governadora gaúcha Yeda Crusius, uma bela mulher mas tão reacionária que nem o marido aguentou mais, e recentemente ela apareceu em denúncias de corrupção.

RÁDIO METRÓPOLE - A emissora de Salvador (BA) e seu derivado, o Jornal da Metrópole, tem a façanha de ter seduzido a esquerda baiana até os neurônios, para depois deixá-la sem as calças na mão, traída até a medula. Ninguém se lembrou que Mário Kertèsz é uma das figuras de alta periculosidade da direita baiana, e houve quem pensasse que ele virou esquerdista de vez. Golpeado, esse cidadão, iludido com a pseudo-militância da Rádio Metrópole, ainda não consegue aceitar que o Jornal da Bahia recebeu o golpe mortal nas mãos de MK (que o transformou em tablóide popularesco), que estava ligado a Antônio Carlos Magalhães quando tornou-se interventor do jornal (ainda vou bater nesta tecla, na próxima edição de "Ingenuidades", sobre os fundadores do JBa). Para dar um aperitivo ao sabor direitista da dupla Jornal/Rádio Metrópole, em várias edições de 2008 o jornal elogiou ACM Neto (chamou-o até de "pegador") e atacou Lula, Jacques Wagner, PSTU e só faltava atacar o MST, se este atreviesse a realizar passeatas na Av. Tancredo Neves, no atual centro financeiro da capital baiana.

REDE TRANSAMÉRICA - A decadente rede de FMs outrora "jovens", que em alguns momentos mais parece uma bolorenta "rádio AM em FM" das mais chapa-brancas dos tempos do AI-5, sai incólume do contestatório público porque aparentemente adota uma postura "apolítica". Mas é só liberar os profissionais da rede para assumirem alguma postura ideológica que a Transamérica (propriedade de um banqueiro que faz conchavos com dirigentes esportivos) mostra sua carranca direitista que certamente assustaria até Reinaldo Azevedo e Diogo Mainardi.

REDE JOVEM PAN - O mesmo texto sobre a REDE TRANSAMÉRICA.

Nenhum comentário: