quarta-feira, 27 de maio de 2009

POLUIÇÃO SONORA EM SALVADOR


Em dezembro de 2008, um frentista de um posto de gasolina foi morto por um rapaz que ouvia um som em alto volume, numa determinada área de Salvador (Bahia). O valentão não gostou de ser advertido pela poluição sonora e meteu bala no cidadão.

Certamente o valentão da ocasião, que cometeu um crime, deveria estar ouvindo algum grupo iniciante de "pagodão", porque a mídia gorda baiana não divulgaria uma nota dessas se o rapaz ouvisse grupos "prestigiados" como Psirico e o medalhão da axé-music Chiclete Com Banana, que muitos poluidores sonoros tanto tocam.

Também a nota não seria a mesma se o cara estivesse ouvindo alguma transmissão esportiva, dessas FMs sem identidade que, não tendo o que fazer, viram caricaturas ou arremedos (se verossímeis) de rádio AM, como fazem as emissoras mais "171" da capital baiana, como a Rádio Metrópole, a Itapoan FM e até a afiliada da Rede Transamérica em Salvador. Se fosse este caso, certamente a nota que seria divulgada pela mídia gorda e até pela gordinha da Bahia - principalmente se for na Revista Metrópole - seria mais ou menos esta:

"Cidadão agiu em legítima defesa, impossibilitado de usufruir seu direito de cidadania e entretenimento. Provocado por um frentista agressivo e insensível, que parecia sonhar com o espaço sideral desprovido de som e movimento, o pobre cidadão, impedido de apreciar a paixão nacional do futebol, foi obrigado a reagir baleando mortalmente o frentista, que não dava a menor chance de diálogo. Para evitar mal-entendidos, o cidadão torcedor e cumpridor de seus deveres foi obrigado a fugir".

Nota ridícula seria esta, não?

2 comentários:

Programador disse...

Aqui no Conjunto Senhor do Bonfim no Bairro de Plataforma ninguém mais dorme.

Tem dois diabos de dois bares que não deixam ninguém mais dormir.

Não podemos mas assistis Tv em casa. Não podemos ouvir som em casa e nem conversar em nossa sala.

A situação está insuportável.

A SUCOM PRECISA TOMAR UMA PROVIDÊNCIA URGENTE.

Rebeca Lopes disse...

Esse caso do frentista foi perto da minha casa. Esse não é o primeiro problema em relação ao som alto , porém o primeiro terminado assim, com bala. Nessa região, apesar da segurança e lazer, problemas de poluições veem sendo agravados, não só a poluição sonora,pois mtas queimadas vem ocorrendo por aki. A maioria das pessoas que poluem não são os moradores, mta gente de fora vem poluir aqui. :\

Tem um lugar por aki, perto do Cond Lagoa Verde, [chamam de Zélia], que todo fim de semana tem uma porcaria de disputa de som :@ [e só rola baixaria...]