domingo, 10 de maio de 2009

BANDEIRAS DE LUTA FALSAMENTE ESQUERDISTAS


Os pseudo-esquerdistas, surgidos ainda na Era FHC, são uma das maiores farsas sociais e se tornam muito mais perigosos do que a pior das direitas, porque se disfarçam, usam o esquerdismo como mimetismo. São playboys que se dizem esquerdistas para não ficar fora da turma jovem. São jornalistas e radialistas neoliberais querendo se apossar da opinião pública, forjando falso esquerdismo. São ídolos de massa querendo soar moderninhos com uma postura "socialista". São antigos direitistas querendo explorar a boa-fé dos cidadãos com uma "nova atitude".

E as "bandeiras de luta" pseudo-esquerdistas? Elas existem? O pseudo-esquerdismo não é apenas uma pose? É pose, sim, mas tem que ter um discurso e uma plataforma. Essas "causas de luta" não trazem qualidade de vida, não resolvem as desigualdades sociais e podem ser defendidas até por direitistas moderninhos. Por isso, seu caráter "socialista" é muito falso.

Aqui escolhemos esta última. Há causas pseudo-esquerdistas no Brasil, causas que de socialismo não tem senão a "imagem publicitária", porque nem sentido socialista chegam a ter. Vamos apresentar essas causas:

ABORTO - Dizer que defender o aborto é "causa esquerdista" é o mesmo que achar que fulano é comunista porque se divorciou da primeira esposa. É certo que militantes da Contracultura, em parte, saíram em defesa do aborto, mas isso nada tem a ver com esquerda. Na salada social dos anos 60, nem todo rebelde era de esquerda (a "revolucionária" Família Manson que "matou" a Contracultura era de direita). Embora não seja uma sugestão esquerdista, é mais prudente pensar em controlar o apetite sexual do que "assassinar" um filho que já está se formando dentro do útero da mãe.

PORTE DE ARMAS - Essa certamente o saudoso Sérgio Porto, na sua identidade de Stanislaw Ponte Preta, colocaria no seu enésimo FEBEAPÁ. Em 2006, houve um plebiscito relacionado ao desarmamento, que perguntou ao povo se aceitaria as restrições pesadas ao porte de armas de pessoas comuns. Os pseudo-esquerdistas, alegando sofrerem com a insegurança, saíram em defesa do porte de armas, como se isso fosse a "causa socialista". Só que essa mesma defesa de cidadãos usarem armas é a "menina dos olhos" da National Rifle Association, dos EUA, entidade EXPLICITAMENTE DE DIREITA que teve como membro principal o falecido ator Charlton Heston. Seus membros defendiam até o patético George W. Bush, de triste lembrança.

FIM DO POLICIAMENTO DAS FAVELAS - Alegando que os policiais, quando entram nas favelas, é para violentar ou matar cidadãos de bem, certos almofadinhas de pseudo-esquerda bradam pelo fim do policiamento nos morros. É essa lorota que permitiu que surgissem as "milícias", uma polícia ilegal porque é paramilitar (tipo de organização vetado pela Constituição Federal), composta sobretudo por ex-policiais envolvidos em crimes. Evidentemente é equivocada a violência de certos policiais, mas isso se deve não à instituição polícia em si, mas pelo despreparo de alguns policiais.

LIBERAÇÃO DO USO DE DROGAS - Sob o pretexto de que usuário não é criminoso, os pseudo-esquerdistas, na falta do que defenderem, usam a liberação do uso de drogas como "causa socialista". A única relação de esquerda com drogas que existe é através das FARC, que usam o comércio de drogas como atividade paralela. Mas, se percebermos bem, o tráfico de drogas, ideologicamente falando, é um cruzamento da economia neoliberal com política fascista, e isso é um fato que os mais conceituados cientistas sociais reconhecem. Sem falar que a direita mais convicta também consome drogas, e muito, porque tem dinheiro de sobra para comprar seu "baseado". Nas bolsas de valores, consome-se mais "loló" do que em festivais de rock, tendo um nível de consumo só comparável ao dos eventos de axé-music e "bailes funk" no Brasil.

FECHAMENTO DO CONGRESSO NACIONAL - O Poder Legislativo brasileiro é marcado pela corrupção, mas isso não quer dizer que o Legislativo deva ser extinto. Alguns jovens "ixpertos" acham que fechar o Congresso Nacional e outras casas legislativas vai moralizar a política de nosso país. Mas é com esse mesmo papo que os generais da ditadura impuseram o AI-5. O grande problema da corrupção política é que o povo vota sempre nos políticos errados, numa adesão semelhante aos ídolos da "cultura de massa".

Nenhum comentário: