quarta-feira, 11 de março de 2009

SMITHS QUASE VIRARAM DESCONHECIDOS NO BRASIL


Pode parecer ridículo, mas no Brasil dos anos 90 os Smiths quase se tornaram ilustres desconhecidos.

Eu pude ver, há uns oito anos atrás, num blog feito por uma garota dessas que curtiu a tenra juventude dos anos 90, dessas que adorava amar o som grunge e odiar o som poperó, e fiquei espantado com o que ela fez.

Ela colocou a letra da música "How Soon is Now?" e atribuiu a canção tão somente a um grupo desses que não deixam marca na história, chamado Love Spit Love. Nada de citar Smiths e muito menos a autoria Morrissey & Marr.

Nessa época, as "maravilhosas rádios rock" (tipo a paulista 89 FM e a carioca Rádio Cidade), que eram um misto de Caldeirão do Huck com Beavis & Butthead, só tocavam umas três ou cinco canções do maravilhoso grupo de Manchester, que volta e meia aparecerá neste blog assim como seu ex-vocalista Morrissey, seguro em sua singela mas marcante carreira solo.

Se as rádios de rock originais tocavam TUDO que surgisse dos Smiths, suas caricaturas dos anos 90 só investiam, quando muito, em "The boy with the thorn in his side", "Heaven know I'm miserable now" e "Ask". Com bom humor, os programadores ainda colocavam "This charming man" e "Bigmouth strikes again". E só.

Por isso mesmo é que a "geração X" brasileira, nascida a partir de 1978, tem uma fraca lembrança do rock independente dos anos 80, que dava de um milhão a zero no laxativo grunge que nem seus fãs aguentam mais.

Um comentário:

Anônimo disse...

Com um pouquinho de sorte também se ouvia "Panic". Mas fazer o quê, a garotada queria novidade. Smiths era (é) música de velho.