quarta-feira, 11 de março de 2009

Metropolitana

Deixemos de lado a sujeira da Rádio Metrópole e vamos para o ônibus Metropolitana, outra coisa, de uma empresa íntegra e saudosa, mas que faliu por pressões dos restritivos e duros planos econômicos da ditadura militar.

As Carrocerias Metropolitana surgiram em 1948, tendo vivido seu auge nos anos 60, quando lançava praticamente um modelo novo a cada ano. Um de seus fundadores, Fritz Weissman, saiu da empresa para fundar a Ciferal e era irmão do artista plástico Franz Weissman. A Metropolitana tinha também modelos especiais, como o Metropolitana Eldorado (1959-1961), com seu modelo arrojado para a época e, para uns, esteticamente estranho.

A Metropolitana chegou a se associar em breve período com a Ciferal. Também foi associada à CAIO e a Cermava. Em 1972, comprou as falidas indústrias Vieira e Cermava, e relançou os últimos modelos como Metropolitana Copacabana (antigo Cermava '72) e Metropolitana Novo Rio (antigo Vieira 1970). O último modelo da Metropolitana foi o Ipanema, lançado em 1973 e que teve duas versões: o modelo 1974 (1973-1974), com faróis principais pequenos, e o modelo 1975, com faróis maiores.

Ao falir, as Carrocerias Metropolitana foram compradas pela CAIO (hoje CAIO Induscar). Mas bem que a Induscar poderia ressuscitar a Metropolitana e manter com ela a mesma relação que a Marcopolo estabelece com a Ciferal.

Nenhum comentário: