quarta-feira, 11 de março de 2009

Corrupção triunfante - Parece filme de Luís Buñuel


Prefeito de determinada cidade cria um grande esquema de corrupção, fundando empresas "fantasmas" para desviar uma grande soma de verbas públicas. Com esse dinheiro, ele incrementa sua fortuna pessoal, mas, para ganhar mais poder, compra rádios e ações de emissoras de televisão e ainda é chamado para intervir em um jornal impresso local e assassiná-lo sem dó. No entanto, esse ex-prefeito, ao se relançar como um suposto radiojornalista, sem ter habilitação alguma para tal, é visto pela população como um indivíduo honesto, e a impunidade ultrapassa a mera natureza legal para se converter num carisma que o ex-prefeito, com um dom surpreendente para enganar as pessoas, consegue obter até mesmo da intelectualidade de esquerda, uma vez que o ex-prefeito é um direitista enrustido.

Parece uma daquelas obras do saudoso cineasta espanhol Luís Buñuel (1900-1983), mas trata-se da história do ex-prefeito de Salvador, Mário Kertèsz, e seu caminho como prefeito incompetente de Salvador (Bahia), como destruidor do Jornal da Bahia - ele fez o que ACM não conseguiu, que é acabar com a linha editorial do jornal - e como dono e astro da Rádio Metrópole.

Como prefeito, ele tinha um projeto arrojado de urbanização de Salvador, mas que foi deixado incompleto com o desvio de verbas públicas para seu patrimônio (fato divulgado pelo meu ex-professor Fernando Conceição, jornalista e ativista social que foi amigo do renomado geógrafo Milton Santos e teve livro prefaciado pelo historiador Thomas Skidmore). Depois, como interventor do Jornal da Bahia, sob indicação de Antônio Carlos Magalhães, exterminou a ótima linha editorial que o jornal lutava para manter e o transformou num tablóide porno-policialesco. Como radialista, tentou seduzir as elites e o povão, além da intelectualidade de esquerda que, indefesa, se deixou sucumbir ao canto-de-sereia de Kertèsz, um sujeito que enganou até mesmo instituições sérias e aqueles que deveriam defender a ética na imprensa.

O que assusta nessa história toda é que o ex-prefeito e empresário conseguiu seduzir e enganar a todos. Recentemente, rompeu com o PT, aliás, nem chegou a romper, porque sua aliança com os petistas foi artificial, apenas para acompanhar o amigo Duda Mendonça que era o publicitário das campanhas de Lula para o Planalto. Apesar disso, a intelectualidade de esquerda de Salvador, feito cornos-mansos, mantém o fascínio por esse canto-de-sereia, assim como parte da sociedade baiana que pensa que "seu Mário" vai trazer de volta os anos dourados de Salvador.

Só três exemplos, um blogueiro chegou a defender Kertèsz quando a dita "Lei da Mordaça" o impediu de fazer ataques a um desafeto político. Chegou a colocar o ex-prefeito e radialista numa foto montagem cobrindo parte do rosto com um lençol. Outro é o (antes) renomado intelectual Oldack Miranda, co-autor de um livro sobre Lamarca, que se tornou, ingenuamente, um defensor da Rádio Metrópole e seu dono bem mais entusiasmado do que o imaginável. E, terceiro, é a atitude frouxa dos fundadores do Jornal da Bahia, Teixeira Gomes e João Falcão (este militante comunista) em não reconhecer a culpa de Mário Kertèsz pela decadência do Jornal da Bahia, uma vez que ele virou interventor do jornal por decisão de ACM e acabou justamente com aquilo que o jornal lutou para manter, que era a sua alma editorial tão perseguida pelo falecido ex-governador e senador baiano.

Kertèsz já fez uns três ou quatro ataques a desafetos políticos em sua rádio. Infelizmente, gente saiu em sua defesa, quando a razão, no caso, se dá à Justiça que puniu o empresário e sua rádio. Afinal, não podemos tolerar o denuncismo gratuito - que é o que Kertèsz fazia, a ponto de fazer comentários depreciativos e piadas grosseiras - mesmo sob o pretexto da "liberdade de informação". Liberdade de informação não é liberdade da irresponsabilidade, coragem de informar não se confunde com covardia e abuso de opinião. Pior é que o ex-prefeito e radialista tem até um blog, que já deve ter enganado meia Bahia e pelo menos 10% do resto do país.

Para maiores detalhes sobre a Rádio Metrópole e seu dono, visite http://br.geocities.com/preserveoam/metropole.htm. Há vários textos relacionados. Só mantenha esses textos longe de pessoas ingênuas e reacionárias.

Nenhum comentário: